torcida

andré, o mar e a meNsagem na garrafa…

Subject: Mensagem na garrafa
“Salve, Mauricio! Salve, Nandão!

Ouço o ronquinha desde a época da finada Oi FM, lá por 2007, na altura em que eu era funcionário da Oi, quebrando pedra como técnico de telecom naquela famigerada empresa. Eu já era um ouvinte tardio, tendo sido apresentado ao programa por meu amigo José Rodrigues da Praça Seca (aquele que você mandou dar um pulinho na janela numa terça-feira de carnaval, quando o jovem ganhou um sorteio do ronquinha).
Acontece que o mundo vai ficando uma merda e a gente também. Fui sugado pela facilidade dessas plataformas de música no celular. Voltei a escutar o programa quando de sua aterrisagem no Spotify. Mas é uma alegria saber que a gente pode estar boiando nesse mar de merda ejetada por um vulcão e, de repente, topar com as ondas do ronquinha e sua desorientação.
Vida longa!
Abração,”
André

mark, fotografia, bituca & o mixto…

Assunto: Milton “Bituca” Nascimento

“Fala MauVal!

Estou passando aqui pra te contar um dos maiores momentos da minha vida.

Meu nome é Mark Greathouse (apesar desse nome americano, sou brasileiro de BH). Sou um membro da tripa já há alguns anos, após ser apresentado ao Ronca pelo meu amigo Thiago Mamede.

MauVal, desde moleque, sou um grande fã do Milton “Bituca” Nascimento. Minha mãe já me mostrava LPs dele quando eu era pequeno, e até hoje afirmo enfaticamente que ele é a voz mais bonita que o Brasil já produziu, e sem dúvida nenhuma uma das mais bonitas da história da humanidade. Tanto acredito nisso, que quando me casei no ano passado, fiz questão de que a versão da música “Travessia” que ele gravou com o gaitista belga Toots Thielemans fosse o fundo musical dos meus votos na hora do casório. (inclusive, se me permite um pedido, seria de ouvir essa versão aí no Ronquinha).

Aí, imagine minha surpresa quando em janeiro desse ano, recebi um convite inesperado: sou fotógrafo há cerca de dez anos anos, e ensino fotografia na minha escola aqui em BH (chamada Ansel). Tive a honra de ser professor do João Couto, que através de muito talento, hoje é o fotógrafo “oficial” das turnês do Bituca. Em janeiro desse ano, ele me ligou porque o Bituca pediu que ele o fotografasse em estúdio para que eles tivessem alguns retratos que pudessem ser utilizados como material de marketing para a nova turnê do Bituca, homenageando o Clube da Esquina. Como o João não tinha muita experiência com fotografia de estúdio, me ligou e me pediu para estar com ele lá para ajudá-lo nessa sessão.

MauVal… eis que eu saio de BH para a casa do Bituca em Juíz de Fora. Chego e sou logo apresentado a ele. Timidamente, comento com ele que que sua voz tinha sido a trilha sonora do meu casamento. Ele, mais timidamente ainda, me responde que apesar de saber dessa gravação, não se lembrava de muitos detalhes de como foi ter gravado com o Toots. Seu filho Augusto propõe que a gente asse uma carne e compre uma cervejinha, já que o estúdio fotográfico estava reservado para o dia seguinte. Papo vai e papo vem, me convidam para dormir ali mesmo. NA. CASA. DO. BITUCA.

Após ouvirmos vários LPs na sala, o Bituca timidamente se retira para dormir, e o resto da turma (Augusto, João e dois produtores) decidem fazer uma sauna. Eu, que estava atoladissimo de trabalho, aproveito o momento livre para abrir meu laptop e responder alguns emails de clientes, na sala da casa.

Estava ali sentado sozinho quando, algumas horas depois, o Bituca ressurge de seu quarto. Todo o resto da turma ainda estava na piscina ou na sauna. Percebendo que o Bituca estava procurando por alguém, pergunto pra ele se ele estava precisando de alguma coisa. Ele me responde que estava com um pouco de fome. Eu, mais timidamente ainda, pergunto se ele quer que eu arrume algo para ele comer. Ele me pede gentilmente para ver se tinha algum pão na cozinha. Peço sua permissão para abrir a geladeira, e após seu consentimento, vejo que na geladeira tinha, além do pão, um pouco de queijo mussarela e presunto… naturalmente, pergunto: “Bituca… você quer que eu faça um mixto pra você?” Ele responde, sempre timidamente: “Um mixto ia bem… mas usa aquela manteiga ali que é lá de Três Pontas”.

MauVal!!! EU FIZ UM MIXTO PRO MILTON BITUCA NASCIMENTO!!!

Praticamente não dormi depois disso. Acordamos cedo para ir para o estúdio e deixar tudo pronto para as fotos. O João Couto, como sempre, mandou muito bem. Mas em alguns poucos momentos onde faltou a ele a inspiração, tive a honra absoluta de fazer alguns retratos do Milton, que te envio em anexo. Sem dúvida nenhuma foi um dos maiores momentos da minha vida e da minha humilde carreira como fotógrafo.

Enfim… desculpe o texto longo do email, mas logo que tive permissão deles para divulgar as imagens, pensei em compartilhar isso com vocês do Ronquinha e com o resto da Tripa.

Espero que gostem.

Um abraço-”

Mark

fernando & raul, exatameNte…

Assunto: #347 e reflexões diversas.

“Salve Mauricio,

Tudo bem? Estive ontem com o Fernando gravando o “Exatamente” e vc e o RoncaRonca foram citados do começo ao fim. Apesar da geração que me separa do Fernando, criamos uma amizade baseada em música e o Ronca tem sido pauta de nossas conversas há anos (como já foram também as crônicas dos Dapieve. Aliás, que livraço). Eu espero sinceramente que vc tenha consciência do papel que o Ronca tem nesse cenário desértico apocalíptico cultural que vivemos por aqui. E não é de hoje, que fique claro. Nos meus mais de 30 anos ensinando pra adolescentes, volta e meia aparece algum aluno que curte música fora do mainstream e nestes casos passo como dever de casa escutar o Ronca. Na semana seguinte o moleque chega com um “Raul, putaquiopariu, que fodaaaa, caaaaaralho,… Eu mando uma frase que aprecio muito: “cola comigo que vc vai se dar bem”.

Mas vim falar desse #347: Quequéisso?? Espetacular!!

Ah, faça um favor: Pergunte ao Nandão se ele joga gamão. Quero desafiá-lo valendo um MilkShake de açaí aqui em Nitcity.

Grande abraço para os dois.”

Raul

fábio e o #346…

Subject: Pelo Ben do Taj Mahal
“Caríssimo MauVal,
Eis que depois de quase sofrer um acidente automobilístico ao ouvir a primeira nota do Sir Ayler ser reproduzida no falante esquerdo do automóvel numa curva suspensa da cidade de CONTAGEM-MG (berço do punk nacional), não pude passar pelo #346 sem TRÊS observações de suma importância. (Vale dizer que agora com o podcast consigo escutar o ronquinha durante dois dias seguidos, pois gasto uma meia hora para ir e voltar do trampo).
1. Wim Wenders e Aprendenders é uma lenda do jornalismo cultural de belo horizonte, pois foi exatamente com essa expressão que um digno repórter da roçatrópole intitulou uma matéria sobre um dos filmes do alemão em um grande periódico daqui — faz uns quinze anos.
2. apesar da estrada apocalíptica, itambé do mato dentro é um pedaço de local paradisíaco enfiado no meio do vale do jequitinhonha, cujas cachoeiras tive o prazer de visitar lá pelos idos de 2008. recentemente, descobri que um amigo passou num concurso para professor municipal e está dando aulas de português lá. mande um abraço, o nome dele é Paulo.
3. também há uns dez anos, caiu na minha mão, por intermédio de um amigo alemão, na Alemanha, um CD ao vivo do Taj Mahal — o cara havia alugado o disco numa biblioteca municipal berlinense. A música que abre o disco é nada menos que uma releitura de “Taj Mahal” de Jorge Ben, mas invertida: o nome é “Jorge Ben”, tocada por Taj Mahal. Não teve esse negócio aí de plágio, a cavalheirice rolou entre os dois parças.
Grande abraço!”


Fábio

chengdu’s calling (ou a china é o futuro)…

Grande Mauricio e Nandão,

Como vão as cousas por aí?
Do que estou lendo, pelo menos o que consigo acessar daqui, a coisa tá ficando cada vez mais surreal no Brasil. É agrotóxico sendo liberado pro bem do povo, é Deus acima de quem não acredita no Deus deles, é direito sendo cortado pra melhorar a vida das pessoas que já não tinham muito direito, é ódio às minorias para o bem do país, embaixador com nível de inglês “verbo to be”, é cientista e professor doutrinador que não sabem de nada, os artistas então, vixi! Esses são o lixo da sociedade! Mas no fim das contas gostamos é do lixo, afinal é nele que está parte boa que o grosso descarta! ehehehe
Enfim, vcs devem estar mais por dentro do que está rolando aí!

Estou eu cá, mais uma vez numa outra etapa a descobrir a China que é um dos lugares mais malucos que já estive, com certeza! Ainda na cidade de Chengdu, província de Sichuan, que é grande pra burro, quase 12 milhões de habitantes e mais de 4 mil anos de história e a gente nem sabia da existência desse lugar! Claro que ela cresceu muito nos últimos anos em decorrência do crescimento econômico do país, principalmente da região, e cresceu muito rápido. Pra ter uma ideia o metro aqui tem 10 linhas sendo que a dois anos tinham somente 2, e continuam aumentando. Em algumas linhas por onde o metrô corre os caras colocaram sequências longas de televisões, uma ao lado da outra de maneira que vc vê a mesma imagem passando num vídeo só. Imagina isso? Um vídeo publicitário de noodles ao longo do trajeto do lado de fora do vagão! Credo! Os museus, praças, estradas, tudo muito bem cuidado! Também, um país que cresce 10% todos os anos a quase 30 anos tem que estar com grana, né! Mentira, esse ano eles estão preocupados pois vão crescer só 6%. rsss Isso pra qualquer país do mundo é de dar inveja!
Os caras já estão anos luz da gente tecnologicamente e ao mesmo tempo ainda resiste aquela China antiga, do trânsito caótico, das motoquinhas e bicicletas, dos Budas e das tradições. Pra ter uma idéia os caras pagam quase tudo aqui com leitura ótica de telefone: supermercado, passagem no metrô, restaurante, até o vendedor de fruta da esquina tem um cartãozinho com QR Code (aquele código de quadradinhos) e o cliente aponta o telefone pra aquilo e já cai o dinheiro na conta do fruteiro.
Mas tem o lado complicado também, a gente acha que nossas novas gerações estão passando muito tempo em frente ao telefone, vcs não imaginam isso aqui! O povo anda de bicicleta com o telefone na cara. Aquele bando de jovem, e velho também, passando a vida em frente a um ecrãzinho assistindo um filme, desenho animado, lendo, jogando… Não sei como é a educação deles mas precisam compensar do um outro lado.
Por aqui, apesar de serem uma população mega gigante abrandaram a política do filho único já há algum tempo pois o crescimento estava caindo drasticamente e viram que à longo prazo a coisa podia desandar. Inventaram a palavra tia(o)!

Aqui também é a terra dos pandas gigantes e tem muitos parques de proteção à eles. Outro dia fui em um mas saí deprimido de lá. Primeiro porque bicho preso pra servir de alegria pra moçada, ninguém merece, né! E outro que qualquer lugar turístico que vc vá aqui é lotado ao cubo! Creio que na China quando um lugar é vazio é o cheio pra gente. E os bichos têm que viver com aquela barulhada da turistada louca atrás de um flash, uma carinha, um movimento principalmente pois o Panda é tão preguiçoso que fica o tempo todo parado e a população está diminuindo porque tem preguiça até pra cruzar! Podia até ser bonecos que ia dar no mesmo!

A comida aqui é sempre exótica com muito óleo e muita pimenta, muita! É sempre um sufoco pra entrar e principalmente pra sair!
Ainda não vi aquelas coisas que a gente acha que o chinês sempre come: gafanhoto, larva, escorpião, rato, etc. Mas tudo é bem exótico: nariz de porco, crista de galo, pomba, estomago de porco, tripa de pato., como disse uma tia: Uma suruba gastronômica! O churrasquinho é a sensação do País. Tudo no espetinho!

As bicicletas compartilhadas estão por todo lado. Quase ninguém tem uma particular pois é muito fácil e barato pegar uma na rua. Elas ficam espalhadas pela cidade e a pessoa destrava pelo aplicativo como aí no Brasil em alguns lugares. Porém elas não precisam de pontos fixos pra recarregar a bateria que aciona a trava, todas tem uma placa solar no bagageiro e carregam automaticamente. Quanto mais ao centro maior é o estacionamento delas.
E os carros também, putz! Um dia passei em uma grande avenida (uma avenida grande aqui é grande mesmo!) com lojas de carros de todas a marcas que conhecia. Como a cidade é muito ampla e tem vias extensas eles estão nadando de braçada na venda de automóveis. Isso pra economia local é maravilhoso, não sei pro meio ambiente pois não vejo muito carro elétrico por aqui e em alguns dias a poluição é bem evidente no ar. Das fabricas e carros.

A cidade é dividida pela parte velha, mais central e outra mais nova ao sul. Prá mim a parte velha, que conheci primeiro, já era a nova pois de muito antigo há poucas coisas que ficam espalhadas em alguns lugares específicos, e a nova é impressionante de exuberância e ostentação. Torres muito altas, prédios extensos, todos de vidro e com uma arquitetura bem futurista.

A China já percebeu há algum tempo que esse crescimento cabuloso como acontece não vai ser pra sempre, com a população se transformando em mercado consumidor (e muito consumidor, quase um bilhão e meio de pessoas), aumentando o custo da mão-de-obra, as políticas protecionistas dos outros países que estão vendo suas fábricas fecharem por causa da produção barata chinesa (exemplo a guerra comercial com os USA), enfim. O foco do país agora é investimento em alta tecnologia pois é o que realmente dá dinheiro e vai dar muito mais com o mundo cada vez mais dependente de inovações. O projeto espacial da China só desenvolvendo, empresas como a Huawei dominando a tecnologia 5G, o país é o que mais investe em energia limpa do mundo (embora é o que mais polua também), os caras formando milhares de engenheiros todos os anos, enfim, a China é o futuro, my friend!
Enquanto os USA estão preocupados em dominar o mundo através da força, petróleo, guerra e money, a China é mais inteligente (um tanto quanto mineira com a política do come quieto, vão mordendo pouco a pouco) e vai só na via do Money! Aos poucos estão entrando nos países e comprando as empresas. Pego o exemplo da Porto Alegre (empresa de lacticínios da minha cidade em MG, Ponte Nova) que teve uma fatia boa comprada por uma empresa chinesa. Imagina isso em escala global? Me lembro da época que vivia em Portugal (2010-2013) quando o país entrou em crise foram vendidas parcelas gordas de empresas estatais para os chineses como a EDP (companhia de Energia), BCP (banco), a TAP (aviação), grandes imóveis entre outros.
Tá certo que pra dominarem de fato os nossos costumes precisariam investir na dominação cultural, coisa que os USA sabem fazer bem com a música e o cinema, mas essa parte ainda os chineses estão longe pois nossas culturas são muito distantes esteticamente e musicalmente. Por outro lado a China está mais perto de nós que imaginamos. Com certeza todo mundo tem pelo menos um produto Made in China em casa (claro que muito mais que um só!).

ah! Além de correspondente internacional do RoncaRonca estou por aqui produzindo algumas coisas dentro e fora do atelier através de uma fundação muito massa que se chama Nongyuan International Art Village. Segue algumas fotos também

Enfim, acho que falei demais!
E se tiver um dinheirinho extra, venha conhecer isso aqui! (juro que não estão me pagando pela publicidade chinesa! ahahaha) Mas vale a pena ver que o mundo não se resume ao que a gente conhece pela percepção ocidental.
Como disse antes: A China é futuro, my friend!

Um grande abraço Xing Ling ao Ronquinha que me faz delirar aqui na terra do sol nascente!
Tomando “mé” chinoca (com inveja desse caramelo aí) e ouvindo o #346.
Muito obrigado por mais essa, galera!”

Eduardo