novas freqências

stephen o’malley em ipanema…

pode ter certeza que ele está ali no canto direito da foto… envolto pela escuridão, por dois amplificadores orange de guitarra (nas extremidades) e uma coluna ampeg para baixo (no centro)!

durante uma hora, stephen o’malley lançou ipanema (inteira) nas profundezas dos sons mais escabrosos já

ouvidos no berço da bossa nova! barra muito pesada… ALTO para meirelles!

a pressão foi tão violenta que teve gente baixando emergência depois do terremoto, em mais uma clássica noite oferecida

pelo festival novas frequências!

minha distância para o som gerado por stephen é parecida com a do vasco para a libertadores de 2014…

por mais que em alguns pontos tenhamos conexões bem fortes!

o’malley é 50% do grupo sunn O))), um dos mais adorados nomes da cena drone metal.

cortejado, fotografado, autografado, idolatrado, beijado (as “droninhas” estavam na área) e muito mais…

sempre sorridente, disposto, jogando junto, uma figuraça!

certamente, a apresentação dele poderia ter sido num espaço dez vezes maior que o oi futuro ipanema… e estaria sold-out, mole!

metida que só ela, a xeretinha (vestindo preto de cima abaixo) chegou junto…

manso, guitarrista do binario/tono/rabotnik, mostrou a coleção de K7/Lp/7″…

stephen: “WOW, você tem disco que nem eu sabia ter gravado”!

enfim, para um domingo que promete ser dos mais dramáticos, a música de stephen o’malley soou MEGA

contextualizada, atual, dinâmica, destruidora e arrebatadora!

mas eu não via a hora de chegar em casa e mergulhar fundo em cinco minutinhos de gregory isaacs!

( :

underground paulista…

ontem, a xeretinha fez estes dois registros na passagem de som do são paulo underground.

estivemos lá para azeitar a gravina de algum momento com o trio formado por rob mazurek, mauricio takara e guilherme granado.

poderia ser durante a passagem ou, propriamente, o show.

takara me apresentou a muzarek e disse que minha intenção era documentar o primeiro show do são paulo underground no rio de janeiro (o projeto existe há quase uma década).

resposta de muzarek: “do whatever you want, man”!

conclusão, com apoio de chico dub e da banda gravamos todo o show para ser apresentado no roNca!

nem vou falar sobre a pressão colocada em nosso colo, no oi futuro ipanema, em mais uma

noitada do festival novas frequências… deixa para quando o roNca reverberar a grosseria, ok?

obrigadão dub, muzarek, takara e guilherme!

( :

muito prazer, toop & chelpa…

eis o pai da criança, chico dub…

criado por ele, ontem, aconteceu – no oi futuro ipanema – a segunda noite do festival novas frequências com

david toop & chelpa ferro

barrão, toop, meckler & zerbini.

o inglês abriu, solo, por meia hora sem parar…

em seguida, sem quebrar a sequência, o chelpinha chegou junto… mais quarenta minutos com os quatro no palco, non stop!

conexão “cósmica/cabeleira altíssima”, improvisação em clima “muito prazer, somos o chelpa. igualmente, sou david”…

let’s play!

sinister… mamãe!

( :