robert wyatt

a internacional…

wyatt

depois da interpretação de robert wyatt da música acima (em inglês, of course), no #255, neguinho começou a indagar onde achar a própria… como foi dito no programa, ela foi editada pouquíssimas vezes, na realidade, apenas em dois discos (que eu saiba):

o vinil duplo com artistas da recommended records, em 1982

cd compilação “going back a bit, a little history of robert wyatt”, em 1994

acho que o cd é bem mais fácil de ser encontrado, via web… além de apresentar um apanhado inoxidável do gênio criador de robert wyatt e de participações Dele com outros músicos

wyatt+thompson+weller…

em brighton, dezembro2016

caramba, a cena final onde aparecem robert wyatt e danny thompson saindo do palco provocou um blublu forte… mamãe, que leNdas. que figuras fundamentais para a minha vidinha… coincidentemente, um xará – nos dois únicos comentários dessa maravilha no youtube – escreveu (por mim):

Wish I had the opportunity to see Robert Wyatt. I want to meet him and tell him how much his music has meant to me. Soft Machine, Matching Mole <3
ronca.adesivo

stalingrad…

Robert Wyatt covered the song Stalin Wasn’t Stalling in 1980, emulating an a cappella group by singing in four-part harmony (achieved by multi-tracking). Wyatt’s interest in the song was that he wanted to remind the West of the selective memory they had during the Cold War about this earlier alliance. The cover was released as a single in 1981 with “Stalingrad”, a poem about the Battle of Stalingrad, written and read by Peter Blackman, on the “B” side. “Stalin Wasn’t Stallin'” and “Stalingrad” also appeared on Wyatt’s 1982 album Nothing Can Stop Us.

ronca.desenho

caroline…

caroline.punk

caroline1

você deve estar perguntando a razão de paul simonon, do clash, aparecer aqui em cima numa música do matching mole. a situação é que robert wyatt e caroline coon tiverem um affair dos mais calientes no início dos anos 70… mas, desde a década anterior, ela já estava na pista chutando o balde lá pelos lados do UK. após uma dessas trivelas, robert se apaixonou pela nossa heroína só que o caso não foi muito adiante por conta da incapacidade dela gerenciar o constante estado “cabeleira altíssima” (heavy manguaça-tentativa de suicídio) de mister wyatt. alguns anos depois, caroline assumiu, claro, fundamental papel na chegada do punk… de jornalista a designer, de coladona na rapeize a “teórica do movimento”, caroline cristalizou sua presença na mídia/cultura britânica.

voltando a fita lááááá pra trás:  quando wyatt montou o primeiro disco do matching mole, em 72, tratou de mandar o bilhete para a fofa em forma de “o caroline”…

David’s on piano, and I may play on a drum
And we’ll try to make the music work, we’ll try to have some fun
But I just can’t help thinking that if you were here with me
I’d get all my thoughts in focus and play more excitingly
I love you still – Caroline
I want you still – Caroline
I need you still – Caroline

If you call this sentimental crap you’ll make me mad
Cause you know that I would not sing about some passing fad
And if my attempts at rhyming aren’t convincing to your ear
Then memories betray you through the passing of the year
I love you still – Caroline
I want you still – Caroline
I need you still – Caroline

You must think it doubtful that I mean the words I sing
Or that all attempts to reach you this way could not mean a thing
But you must admit we both thought we’d be man and wife
And that I could make you happy for the best part of your life
I love you still – Caroline
I love you still – Caroline

quase três meses pra chegar (ou um título que vai na contramão da “modernidade”)…

espetáculo absoluto com todas as peripécias de robert wyatt.

grosseria em estado puro… brutalidade inoxidável… uma trivela no saco da padronização planetária.

detalhe:

essa edição em capa dura, com 460 páginas, formato 16 X 25 cms é muito leve…

portanto, facilita para quem puder trazer de fora.

mas, para não incomodar, o melhor é dar uma passada pela amazônia e… esperar, manja?

22 doletas + o camelo!

imperdível!!!

mostra pra gente, bolelli…

Subject: Wyatting
“Salve Mr. MV,

Conheci o mestre Robert Wyatt no roNca roNca, assim como o Soft Machine, entre muitos outros…
Caso ainda não saiba, acho que vai gostar desse (re)lançamento:
Esse vídeo é da série cabeleira altíssima rock club:
E essa jam de 1968, com ninguém menos que Jimi Hendrix:
http://www.youtube.com/watch?v=K-neusSKe4M

E aí, quando (e onde) vai rolar a próxima Festa roNca, e quando você virá a Victoria?
Grande abraço.
LB
froNt_ES