historinhas

bola na trave…

(rio, morro da urca, janeiro2009)

claro que são compreensíveis os argumentos de samuca para mergulhar na carreira individual… mas dá um apertinho no coração imaginar que, logo logo, não mais teremos a vibe desses matusquelas together.

caramba, o skankinho é linha direta comigo tanto no rádio como via xeretinha. foi no radiolla (globo fm/1992) que a banda teve a primeira execução no dial (fora de BH) com “salto no asfalto”, em fita K7 demo, entregue na minha mão por fernando furtado (empresário do quarteto) na portaria da rádio… e eles não eram nada além de uma rapeize mineira desconhecida, muito jovem, tentando botar a cabeça de fora.

em seguida, apertamos os laços e fotografei a banda para o primeiro disco na sony… de lá para cá, cacilds, passamos por muitas e muitas e muitas… culminando com lelinho ao som de paralamas e king crimson, no arraiá do medina…

todos estão crescidos, com inúmeras possibilidades sônicas adiante e, principalmente, já sabem onde os calos apertarão.

pra nós, aqui do outro lado, na boa (pra mim é certo), restará a tristeza de quando um amigo parte em viagem sem data de retorno… sacumé?

enfim, como diz o coringa: “that’s life”

(rio, carnaval1993)

pedro & o curupira (ou aTRIPA ouvindo o roNca)…

pois é, fernando registrou o filhote pedro ouvindo o relato da nhaca familiar criada por nandão ao dizer que o curupira circula pelas colinas de nova lima… conclusão, pedro e o irmão daniel piraram com a possibilidade de cruzar com o curupa, mula sem cabeça, sapo boi & seus bluecaps.

o inoxidável dessa página de nossa História é que o pedro tornou real o meu sonho em testemunhar a ouvintada interagindo com o roNca… desde 1982 imagino como são as reações às batatadas, como a audiência se deixa envolver pelos sons, como o corpo a corpo (em todos os sentidos) é processado do outro lado da caixinha… até pedrão exibir, finalmente, a essência de nossa tabelinha.

nesse minuto abaixo identifico carmela, violeta, zé, edson, luiza, igor, yuri, natty, pedros, marianas, luizes, marcios & marcias, charles, marias, bernardos, renatos & renatas, rauls, fernandos, gerson, valdeco, thiagos, marcos, marco, eduardos, gabrielas, marcelos, christianos & cristianos & cristianas, renatos & dines, brunos, fabios, jenilsons… na boa, todos os nomes que existem on earth, tenham se comunicado ou não com o programa nesses quase quarenta anos de experience (mamãe!).

todos – acredite, TODOS – os nomes de todas as galáxias já circularam pelos dutos do roNca e seus derivados… e nada melhor que conhecer (desse jeitinho) como o muNdo invisível gira…

cheers

( :

olha a cara do rodrigo (tadinho)…

passei batidão pelos detalhes pré e pós king crimson no multishow… ou seja, não vi os comentários ejaculados pelo possante grupo de apresentadores do canal.

acontece que, nos últimos dias, têm chegado toneladas de tijoladas direcionadas ao referido canal… mas não adianta soltar marimbondo pelas ventas por que a transmissão é feita, basicamente, para quem vai achar tudo mara, tudo sensa… hahaha!

mas peraí, estamos tratando de jornalismo, televisão, de comunicação… hummmmmm, aí, os marimbondos passam a fazer sentido, procede? mesmo que aquele grupo não esteja ali para emitir opinião… são, meramente, apresentadores… tipo cid moreira que nunca soube do que estava informando mas fez história como apresentador do JN.

na boa, invejo alguns apresentadores pelo talento estrogonófico de acharem todas as atrações igualmente extraordinárias… é preciso ser muito cascudo para tal missão.

mas o fato é que, pouco antes do king crimson entrar em cena, uma das “apresentadoras” introduziu a banda como: KING CRAIMSON

o rodrigo (tadinho) que, segundos antes, estava no maior clima sorriso, alegrão, olhou para a “apresentadora” com os cornos de serialkiller-MEGApsicopata-voucortarsualíngua-quemerdatôfazendoaqui. sente o groove no exato instante pós batatada…

HAHAHAHAHAHA… em seguida, a “apresentadora” – após levar um toque da produção pelo fone – se referiu ao robert fripp como líder do “blahblahblah”… isso, ela não repetiu a batatada e sequer falou direito. claro, achou mais informativo vomitar “blahblahblah”… que momento crucial na cobertura jornalística da cultura pop!

o X da questão aqui não é falar certo ou errado – oxente, semanalmente eu e nandão proferimos trocentos nomes errados – o lance que machuca é a falta de  noção/conhecimento do canal e de alguns dos “entendidos” que participam dessas aventuras musicais.

teve uma outra “apresentadora” que, junto com o china (tadinho), ficou assombrada que o KC tem mais tempo na estrada que o dobro da idade dela… HAHAHAHAHAHA!

você acha que ela diria, por exemplo, que o baixista que estava prestes a ser mostrado tocou com john lennon, peter gabriel e david bowie?

mas é isso, o king crimson foi um tubarão fora do aquário do multishow que, além de ter uma editora de imagens que NUNCA ouviu falar da banda, insistiu em colocar durante a transmissão umas janelas mostrando a rapaziadinha sorridente e colorida do canal deles no youtube… UHU!

de cabeça pra baixo…

láááá atrás, quando foram anunciadas as atrações do RiR2019, pensei com meus botões:

– PQP, não tem UM nome que me faça ter vontade de ir ao arraiá do medina!

mas como os paralamas estavam no pacote, engoli seco, pensei em nossa amizade, em nosso trabalho, blábláblá… mas sério, passou forte o pensamento de abortar a missão diante da inédita insalubridade desse ano… mamãe!

adiante, o arraiá informou a visita mais inesperada/surpreendente/inusitada/inoxidável de todos os tempos: KING CRIMSON… hein? como assim, bial?

só me restou torcer muuuuuuito para coincidir com o dia dos paralamas e… BINGO!

e tudo ficou ainda mais amarrado com os paralamas abrindo o palco mundo às 18h e o KC fechando o sunset às 21:15… perfeito!

os relatos do show de SP infomaram uma duração de quase três horas (o setlist está ali embaixo)… claro, o palco sunset não comportaria todo esse tempo… portanto, MEGA risco do rio de janeiro ver fatiada a primeira vez de fripp & seus bluecaps na cidade maravilhosa.

mas pensei eu – de novo – com meus botões: não é possivel que a banda e a produção do arraiá não pensem em algo fora dos padrões para essa estréia carioca. que o king crimson se apresente pelo menos por duas horas. que empurrem adiante o lixo que virá a seguir no palco mundo. que tirem meia hora de cada uma das buchas para o KC ter o mínimo de tempo necessário para fluir decentemente… até porque as referidas inutilidades não estariam aqui se não fosse o KC… simples assim.

até que às 21:15… começa uma das maiores grosserias sônicas que já passaram pelo brasil. isso, não me refiro ao rock in rio apenas… que já passaram por todos os palcos, de todas as cidades, de todas as galáxias brasileiras… PQP!

não vi o movimento da rapeize na platéia mas ouvi a empolgação a cada massacre ejaculado do palco tomado pela máquina de sons mais mortífera on earth.

áudio perfeito, cenário simples total, zereta de telões, três bateristas, tony levin esmigalhando os graves, mel collins, frippa… e Música para residir até o apocalipse final em nossas lembranças… J I S U S

até que, prestes a completar a primeira hora, a banda ataca de “21st century schizoid man”, há séculos a saideira do KC… pensei eu – de novo – com meus botões: “mamãe, essa porra vai acabar com uma hora de duração. não é possível que a produção do arraiá e banda não tenham se revirado para arrumar, pelo menos, mais meia hora”

“21st century schizoid man” cravou a fogo um dos três momentos mais cabeleira alta em todos os tempos do rock in rio junto com “cortez the killer” (neil young, em 2001)… o terceiro você escolhe!

mas o fato é que – como era previsto – a música fechou a apresentação do KC… uma hora apenas para quem estava esperando por eles desde 1969 mais todos os outros fissurados que atravessaram os séculos para testemunhar algo tão descaralhante.

claro que essa hora estará forévis em outra dimensão, uma outra experiência, numa gaveta muuuuito incomum de nossas vidinhas… algo para ser lembrado forévis do jeitinho da foto que abre essa lorota.

pra fechar, a confirmação habitual da estrutura montada pelo arraiá do medina. é surpreendente conferir no brasil de hoje (e de sempre) a qualidade imposta por eles em todos os detalhes. sinistróide.

seria muito bom se eles passassem um pouquinho desse “saber fazer” para a curadoria musical do arraiá… simplesmente, para satisfazer um público que para eles não existe.

que a vinda do king crimson traga (também) inspiração ao arraiá…

não é mesmo, meu campeão?

( :

king crimson, intervalo em SP, e aTRIPA desorientada…

aTRIPA desgovernada (sempre) no espaço das américas no primeiro show do king crimson em solo brasileiro… 50 aninhos de espera.

o cartão de visita no estabelecimento é este…

captou o toque?

alguns snipers, cirurgicamente amoitados, jogam um laser mortal sobre o “desavisado” que tenta registrar o espetáculo… sinistróide.

certamente, essa ação terrorista será implantada aqui, domingo… e imagino que, com a platéia em pé (e embolada) do palco sunset, os snipers trabalharão loucamente… cenas lamentáveis à vista.

no instante em que as msgs d’aTRIPA estão chegando (prof raul, valdeco & seus bluecaps, lirinha, maria eduarda & sister, roberto “gavião” e outros tantos), rola um intervalo de…

no total, eles dizem, o show deverá ter papo de duas horas e meia.

há relatos de momentos inéditos aos olhos d’aTRIPA como por exemplo, um cidadão que se deitou no chão e começou a espernear de alegria… acredite!

dizem também que há doses industriais de caramelo sendo consumidas como se não houvesse amanhã… CHEERS!

parece que teremos mais lorotinhas… adiante!

o abração no adelzon, ontem, no teatro rival (rj)…

noca da portela mostra o tamanho do abraço que adelzon alves recebeu, ontem / teatro rival (rj), de muitos e muitos amigos-fãs-devotos por conta de seus 8.0… sinistróide.

o monumento ficou cercado por bambas de primeiríssima grandeza como noca, zé katimba – o aniversariante – genaro da bahia e rildo hora…

ao final da rave, adelzon identificou na plateia um dos mais estrogonóficos nomes da cultura brasileira, diretamente de salvador, o nosso LKJ, clarindo silva (à esquerda)…

ele mesmo à direta: afrodescendentezinho da beija flor!

a chapa esquentou tanto que adelzon teve de abandonar o embalo antes de paulinho mocidade chegar junto. afinal, o programa dele, na rádio nacional, estava prestes a começar… THIS IS RELIGION

( :