Arquivo da categoria: torcida

calma que é só (ou são paulo sexta e sábado)…

scandurra gargalhando com a primeira apresentação de seu novo projeto…

nandão, a leNda, estreando (mundialmente) como dejóta, no boca roNca…

cecilinda salvando no largo do arouche…

e aTRIPA fechando a tampa do boca roNca…

calma, muita calma para quase todas as informações de sexta e sábado, em são paulo,

serem (minimanente) digeridas/entendidas/processadas/endeusadas/cravadas a fogo/celebradas & etc!

mamãe… que fim de semana foi esse?

( :

william on the road…

Subject: Segura a magnífica que tô a caminho…

“Ao vivo a caminho do Boca roNca, de manto na mão e gritando a plenos pulmões (da novo rio até o Tietê): rooNcaaaaaaaaaah- roooooooNNNNNNNNcaaaaaaaaaaaah…

& o #601 espancando as zoreia, evidentemente.
Gzuuuuuuuissssss
Obs: tô levando a rapa dos adesivos do “em caso de incêndio: salve os meus discos” pra distribuir com aTripa 🧨🫂✨
Até logo.”
/+/
William

a ouvintada voando alto com rodrigaço…

Subject: Do alto dos Andes
“Salve Mauval & Nandão, beleza pura?
Aqui onde é alto, frio e calor, Desierto del Atacama, Chile, me encontro com vocês. Vim ouvindo o seiscentola no caminho. Na verdade ainda não conclui embora tenha ouvido mais de uma vez. Mas infelizmente vou perder o imperdível Boca RoNca. Mas daqui do topo da América Andina, a reverberação é total.
Abração,”
Rodrigo

saulo de joelhinhos tremendo e abalando o emocional aqui…

Subject: diadema calling…

“Salve MauVal, Nandão e tripada

Que demais uma festinha em Sampa. Engraçado como um programa de rádio pode representar tanta coisa na vida das pessoas, mais especificamente de nós sortudos a bordo. Sortudos porque a relação com o Ronca completa umas lacunas pesadas da vida, tipo de informação, inspiração e terapia… Todo mundo precisa dessas coisas, e na maior parte das vezes ficamos meio à mercê do que o mercado manda.
Há muito quero escrever mas tudo que a galera manda no tico-tico me representa muito. Maurição, estou na escuta desde 2013, já escrevi outras vezes e estive contigo numa ação como DJ do Paralamas no vale do Anhangabaú, em SP, há um tempão, lá só deu pra umas fotocas mesmo. Dessa vez vai ser mais intenso! Estarei lá no BocaRonca, trajando meu manto sagrado e de perninhas tremendo também, imagina a sensação de uma noite toda só com roNcracudos, loucurinha mesmo. Só vocês pra tocar uma bola dessas. Felizaço por fazer parte de tudo isso!
Obrigado, e um forte abraço que guardo e aguardo, a TODOS os envolvidos nessa experiência de vida que vocês nos proporcionam.
Sigo na moita, mas sigo forte. Sempre!
MANDA MÚSICA, MANDA MÚSICA! MauVal, Nandão!!!

abraços fraternos,”

Saulo

vinicius soprando velinhas junto com o #600…

Subject: SEISCENTÓLA – 6 DE JUNHO = 43 ANOS
“Salve Mauval e Nandão
Gostaria de agradecer  e parabenizar por esse programa maravilhoso completar 600 edições, na qual eu me tornei um fã inveterado e dependente.
A coincidência poderia não significar nada, mas pode significar muito, pelo menos pra mim, que chego na casa dos 4.3 (quatro ponto três) assoprando velinhas exatamente no dia desta edição especial do seiscentóla, dia 6 de junho de vinte, vinte quatro.
Estarei ligadissimo aqui de Maringá no Paraná acompanhando vocês.
Um abraço fraterno e vida longa ao programa.”
Vinicius
🙂

matheus, coração sujo, passando a vida com o roNca…

Subject: Só agradecimentos – e rumo ao miliduzentola

 

“Bom dia/boa tarde, Mauricio. Tomara que este e-mail o encontre bem, como diziam.

Rapai!… Fiquei muito emocionado ouvindo a dedicatória lida por Nandão-Pereio no último programa. De arrepiar, meu compadre. Obrigado mesmo, obrigado demais!

Depois vi a foto do livrinho no site… Sem palavras pela consideração que vc teve, que vcs tiveram.

(Aliás, esqueci de lhe mandar o código postal, avisando do envio… Sorte que deu certo de vc ver a tempo – sorte essa que meu Santão não teve ano passado, e agora eu também estou descobrindo o que é viver uma SuperTerça, mesmo sem estar tendo jogo de terça ainda, pra um Peixe ofegante…)

Queria dar um “pequeno depoimento” sobre eu e seu programa: há anos já (apesar de não ser daqueles que se manifestam) passo a vida escutando o RoncaRonca, em geral em partes, ao longo da semana.

Então vocês me acompanham sempre – ou sou eu quem os acompanho?

Estamos juntos.

Escuto conforme consigo (se estou correndo com o cachorro [quem dera correr em cavalos a pelo!], ou lavando louça, ou olhando pro teto, ou ouvindo pela segunda vez, ou fazendo um trabalho que não exija quase100% de atenção), porque para aproveitar as falations é desejada a “escuta ativa”, e meu cérebro (masculino?) não consegue executar duas tarefas complexas ao mesmo tempo.

Então “veja que” ouvir o Ronca (com a atenção MERECIDA, porque, sim, vocês merecem – We insist!) é uma atividade complexa. São preciosas as prosas, as dicas, as histórias que conta; é precioso o humor, pra melhorar o dia. O que seria de mim se vocês não tivessem vindo antes no caminho?

Sigam assim, então, requeremos!

(Sou propagandista do programa entre meus amigos que gostam de música, e entre os que não ligam pra música também. A gente insiste…)

Um abraço pra vc e pro Nandão, com quem compartilho o Clash como uma das bandas mais ouvidas (perigou muito de mandá-los, por minha própria culpa, para a escadaria… Que risco! Acontece com os desavisados).

(E 600ntola não é o bastante. Queremos o miliduzentola – já estamos amoitados.

Saúde – e manda música.)”

Matheus, Capivari-SP

esdras e o #597…

Subject: #597!

“Lembro sempre de uma parada que vc falou em algum programa, sobre ‘separar o melhor do prato pro final da refeição’, algo assim.. Que vc sabe que vai ser bom, e por isso deixa pra curtir no melhor momento. Assim fiz com o 597 e deixei pra ouvir hoje, sábado, na hora mais tranquila!

Assisti o filme do Bourdain ontem, em outra coincidência absurda, e conheci a trilha do Esquadrão da Morte pesquisando pras músicas que queria usar no programa que te mandei, mas acabei não enquadrando.. aliás, queria dizer que quase caí pra trás qd ouvi Sonorado tocando na programação. Essas coisas sempre me fazem pensar que todo mundo que te ouve tá o tempo todo ‘conversando’ por aí, de um jeito ou de outro.
Lembrei de uma versão do Otto pra ‘Garçom’, do Reginaldo Rossi, que tá num tributo gravado em 98. Não sei se já passou por aí, mas fica aqui o pedido.
E que venha o seiscentola! Torcendo muito pra vir uma festinha junto.
Abraço!”

Esdras