Arquivo da categoria: torcida

escavando a comunicação…

a curadoria do roNca tem feito umas escavações profuNdas na jurássica comunicação d’aTRIPA ao longo das últimas décadas… tudim por email.

pois bem, prestenção nessa uma…

São João de Meriti, 18/07/2004

“Fala Mauricio

Estava lendo os Tico-ticos antigos e um ouvinte seu te mandou uma
mensagem falando sobre um comentário que você fez sobre a audiência
“muda” do antigo programa e do site. Digo isso por que te escuto desde
98, se não me engano, e fiquei sem te ouvir de 2001 a 2003 e só agora,
que tenho computador, voltei ao site. E nunca te escrevi. Fui até no
Ronca em Copa uma vez. Estou escrevendo porque me lembrei um dia
desses que você disse no programa na Rádio Imprensa ainda, que existia
uma forma dos ouvintes pagarem uma mensalidade para sustentar o
programa, que já era feito isso nos EUA e que no Brasil ainda era meio
esquisito de fazer, tinha impedimentos na lei etc e tal. Gostaria de
saber se isso é viável hoje e se for pra que você divulgasse no site
ou, pelo menos, disponibilizasse uma conta pra depósito para que a
gente, ouvintes órfãos, pudesse ajudar a manter o NOSSO (meu, seu e de
todos nós) Ronquinha. Paralelo a isso, como também sou ouvinte do Rock
Bola, ouvi um dia o Toni Platão dizer que você tava negociando com a
Cidade pra fazer um programa lá. É verdade, seria o mesmo Ronca ou uma
parada diferente ?

Bom, antes de sair fora vou fazer uma coisa que talvez você não goste:
te agradecer.

Sim, te agradecer por ter me passado e ainda passar tanta coisa legal
(música, filmes, livros, opiniões, etc). Só pra ter uma idéia das
coisas que eu conheci através do Ronca: Frank Zappa, Echo and the
bunnymen, Miles Davis, Jimi Hendrix, Chemical Bros., Husker Du (os
melhores!), Public Image, Nei Lopes (sensacional), Public Enemy, Lee
Perry, The Jam, Rory Gallagher, Jeff Buckley, Beastie Boys, e por aí
vai, que a lista é grande. Muito obrigado, meu irmão, isso não tem
preço. E pode ficar certo que a minha audiência não será mais muda.

Em tempo: O que você achou da lista dos melhores discos de rock da Playboy?

Um abraço,”

Kleber

alessandro, reginaldo & roNca…

Subject: A Sindrome da Escadaria e a Resiginificação de Reginaldo (ou reverberação forte sobre o 427 e 428)

Salve MauVal! Salve Nandão, a lenda!

No final de 1985 o Reginaldo, vulgarmente conhecido pelo público como Elton John, lançou o álbum Ice on Fire.

Em 1986, eu no auge dos meus 12 anos, comecei a vasculhar o dial das FMs paulistas em buscas de novos sons e eis que começa a tocar a música Nikita, deste álbum do Reginaldo.

Gostei bastante da música e achava ela bem legal. Curtia de verdade quando ela tocava em 1986. Mas essa música teve comigo o exato efeito da Sindrome da Escadaria que vocês dois tão bem discutiram e argumentaram durante o #427 e #428.

Durante 1986, 87 e 88 Nikita foi tocado tanto nas rádios paulistas que eu peguei nojo desta música! Eu simplesmente não conseguia mais ouvir os acordes iniciais desta canção sem ter o movimento instantâneo de mudar de rádio.

Havia dias em que uma rodada pelo dial mostrava 4 rádios simultaneamente tocando Nikita! Parecia até que os caras da programação combinavam o horário em que as rádios deveriam infernizar os ouvintes com aquele hit.

O problema é que essa música me levou a odiar também o Elton John a ponto de me fazer não conseguir ouvir mais nada que ele viesse a lançar. Esse sentimento permaneceu comigo até o dia em que vocês apresentaram no roNca roNca o álbum 17-11-70, aquele que foi gravado ao vivo em New York.

Baixei esse álbum no Deezer e ele ficou tocando em loop por um bom tempo nos meus ouvidos. Cada música que eu ouvia do álbum 17-11-10 me levava a pensar: não é possível que esse seja o mesmo artista que gravou aquela bosta chamada Nikita.

Isso me levou a ver o filme biográfico do Elton John, que vocês também comentaram muito durante alguns programas. A conclusão óbvia é que existia outro tipo de artista antes de Nikita do qual eu nunca tive acesso por conta do bloqueio criado pela síndrome da escadaria.

Foi ai eu comecei a fase de Resignificação do artista Reginaldo.

Quando tudo estava se encaminhando para um lado bom, vocês vem com a pedrada que é o Madman across the Water, que agora eu não consigo mais parar de ouvir. Acho que isso deve me levar a ter coragem de colocar Nikita para rodar de novo e ver se a Sindrome da Escadaria realmente foi curada (ou ressignificada, como bem cita o Nandão).

Mais uma vez tenho que agradecer ao programa por me fazer enxergar o gigantesco artista musical e visual que é o Elton John.

Forte abraço para vocês.”

Alessandro

aTRIPA, ahhhhhhhhhh aTRIPA…

Assunto: #429

“Caros Mauricio e Nando.

Boa noite e espero que estejam bem.

Ao terminar a aula #429 e ouvir o encerramento inquietante do Maurício, fazendo referência sobre a resistência à “padronização” e à banalização de conteúdo impostas pelos “algoritmos” e da turma de cima, precisei vir aqui para dizer o seguinte: Tamo junto!!! (vcs aí no quadrado e nós aqui na circunferência terrestre).

E Nandão, compartilho do mesmo sentimento que você experimentou com Elton John em Madman Across the Water. Eu também não conhecia esse essencial ELTON JOHN… Sensacional!!!

É isso senhores, poucos caracteres porém muita “desorientação”…

Forte abraço e valeu mais uma vez. Continuem firmes…”

Jaime

+

Assunto: Escadaria vertiginosa

“MauVal!

Puerra! Atrasadão aqui na audição do vôo #428. Segura uma poltrona aí pra mim!
No que diz respeito à Síndrome da Escadaria, tem umas músicas que vou te contar… o ranço misturou com gastura. Bate aquela careta quando rola:

1) “Light My Fire” – The Doors (Uns 95% dos Doors eu não tenho mais pilha pra escutar)
2) “Eduardo e Mônica” – Legião Urbana
3) “Águas de Março” – Elis & Tom (é, eu sei…)

Abraço com distanciamento social pra ti e pro Nandão!”

Fred

+

Assunto: #429

“Boa noite Mauricio e Nandão.
Sempre assisto o Ronca na sexta feira. Um dia nobre da semana pra um programa nobre (no bom sentido!)

Programa espetacular!
Não é só porque sou vascaíno e ouvi as melhores palavras sobre o Vasco, ditas pelo Mauricio, mas a qualidade do material e das informações é algo inigualável nesses tempos pós modernidade babaca.
Terminei agora.
Vou direto pro Spotify ouvir a lista das listas.

Um abraço!”

Renato

+

Assunto: O #428 e as boas lembranças

“Fala, MauVal!

Após o FINAL do #428 (e que final!!), lembrei desse disco que comprei depois de ouvir o seu PROGRAMA lá na década de 90. Não sei se vc lembra dele, mas as sensações do seu PROGRAMA (de verdade!!), a gente nunca esquece. Vlw!!!
Abs,”

José Luiz

+

Assunto: ouvindo o #424 a 33 rpm

“Bom dia MauVal!

Aqui é o Thales, o ciclista com o capacete adesivado pelo RoNquinha e que te presenteou com um disco da banda Junkie Dogs na sua passagem por BH no lançamento do Preto e Branco.. enfim…

Passando aqui pra falar sobre o “erro” de ouvir a cumbia de Los Wemblers em velocidade reduzida.. não sei se alguém da tripa já trouxe essa observação, porém venho te defender! Você não errou em tocar a cumbia em 33 no 423, já que você vinha fortemente influenciado pela película “Já não estou aqui”, onde os personagens se divertem ao som da Cumbia Rebajada!

Um ritmo que surgiu nos “Bailes” de Monterrey, quando o “Sonidero” Dueñez, depois de tocar cumbia colombiana seis horas seguidas, viu seu equipamento esquentar, o que fez a rotação do disco diminuir… ele gostou, a galera na pista gostou e então nasceu a Cumbia Rebajada…

“En Monterrey lo conocen como Sonidero Dueñez, la profesión sustituyendo a su nombre de pila. «Un sonidero sería como un DJ del pueblo», explica, «con la diferencia de que nosotros solo tocamos música colombiana». Sobre el incidente que dio lugar al nacimiento de un nuevo género, Dueñez recuerda un día concreto en una fiesta. «De tanto tocar, de cinco a seis horas, el equipo se calentó provocando que diera menos revoluciones al disco, y así llegó el tono rebajado. Ya después trate de reparar la tornamesa y, pues no pude, mejor así la dejé».

A la gente pareció gustarle, así que Dueñez empezó a grabar casetes y recopilatorios con este particular ritmo submarino, las voces arrastradas, los acordeones escupiendo notas graves como trombones. Otros sonideros se sumaron a la moda y los cumpleaños, las quinceañeras y las fiestas callejeras empezaron a moverse a un ritmo más pausado.

(…)«la cumbia rebajada viene de una cumbia normal que se baja de tempo y pitch para lograr el sonido rebajado. No se tiene una fórmula para rebajar el disco más que la del oído hasta que suena chido. La técnica es lo que hace sonar distinto y no creo que se pueda igualar».
Más allá de las modas, de las tribus urbanas y de su origen, Piña lanza una última advertencia: «La cumbia normal y rebajada ahora se empieza a escuchar en discotecas de todo el mundo. Habrá que ver hasta dónde llega y cómo evoluciona».”

La cumbia rebajada, un error que se convirtió en género musical

E esta, dizem, é a cumbia rebajada mais conhecida… AQUI

Abraço!”
Thales

 

bernardo e o seNtimeNto…

Subject: #429 Massacrante (no melhor sentido)
“Mauval,

Pqp, que programa foi esse. Começou com essa poesia sensacional do Siba & Roberto Corrêa (“que faça pesquisa ou teste em Macaco ou Mamulengo”) , com direito a Peter Gabriel cantando em Alemão e Tina Turner cantando Proud Mary (e eu nem acabei de ouvir ainda inteiro!).
Sobre o que você falou do Vasco, me identifico muito e assino embaixo. Esse ano o meu Botafogo conseguiu ser o pior de todos, com direito a show de horrores de um pseudo-comitê gestor capitaneado por Montenegro, também conhecido como o “Eurico de Um Brasileiro Só”. Não é coincidência. Mas essa foto que você colocou aí do Nelson Sargento com máscara do Vasco no dia seguinte ao rebaixamento me tocou. Esse é o sentimento verdadeiro, genuíno. Até tirei a minha do armário pra ir na Rua agora. Vamos ter que ir ao fundo do poço pra sermos grandes novamente, mas que assim seja. O amor é maior que tudo.
E pra terminar, já que o Nandão não tem ajudado 😆, segue uma indicação no Netflix de um filmaço de uma época maravilhosa do futebol, “O Verão de 92”. Éramos felizes sem o Var e não sabíamos… AQUI
Abraços para você e o Nandão (A Lenda)”
-Bernardo

demétrio, ike, tina & a banda…

Subject: Cozinha do Ike & Tina Turner
“Caros MauVal & Nandão,

Segue abaixo alguns sites onde achei a ficha técnica do citado LP no #429
Trata-se dos The Kings Of Rhythms, além das Ikettes é claro
A rapaziada tá toda lá listada quase no rodapé
E aqui em negrito:
Abraços”
Demétrio, o cão e agora cascudo tb…

aTRIPA reverberando o #429…

“Cara, seis e meia da manhã e eu dando cambalhotas aqui demais ouvindo o ronca. Esse disco aí do Antônio Adolfo eu encontrei esses dias, perdido num sebo aqui. Cheguei em casa botei pra escutar e fiquei em êxtase.

obg pela lembrança, abraços e sucesso pra vcs!!
P.S: Se sair assinatura ronca ronca pra pagar pra ouvir eu assino na hora, qualquer preço ainda vai sair barato!
flw vlw!!”
Andre
.
+
.
Subject: Köln 429
“E a “Escadaria de Frankfurt” do Skylab? E o novo do Nick?
Mais uma vez obrigado 🙏 pelo programa. Agora que o sol começa a aparecer com mais frequência, eu consigo acordar mais cedo e escutar 🎧  o Ronca direto na sexta quando acordo. Terminou agora, o novo álbum do Nick entrou aqui, o sol traz as cores da primavera, sei lá, o #429 me trouxe um clima houllebecq “partículas elementares”, talvez pela tua nostálgica observação dos midanes nos anos 80 intensificada pelos gemidos Cave-rnosos, Berlin calling à la “Suspiria”. Aquele abraço e até o próximo ronca – e que saudade daquele Bibi Açaí!!”
Fábio

+3 na escadaria curitibana…

Subject: Síndrome da Escadaria pro céu
“Salve Mauricio,
Três músicas que eu já gostei e hj tenho ranço:
– Apesar de Você – do magnânimo
– Satisfaction – dos pedrinhas rolantes
– Another Brick in The Wall part II – do froyd
Beijos e abraços em vc e no Nandówsky,”
Terence
de Curitiba

leo & jack…

Assunto: Playboy das Caralhas

Leo

####

This session is from Series 1, Episode 1 of From The Basement… Premiered on 17 Feb 2021

00:30 – Blue Orchid

03:06 – Party of Special Things To Do

05:27 – Forever For Her (Is Over For Me)

09:22 – As Ugly As I Seem

14:11 – Little Ghost

16:31 – Red Rain

Connect with From The Basement: https://ffm.to/fromthebasement From The Basement features exclusive live music performances with some of the finest A list and emerging talent. Including The White Stripes, Radiohead, Albert Hammond Jr., Beck, Jarvis Cocker, Sonic Youth, PJ Harvey, Mark E Smith, Red Hot Chill Peppers, Feist, Thundercat, José González, Gnarls Barkley, Iggy Pop and The Stooges, Fleet Foxes, The Raconteurs, Band of Horses, Queens of the Stone Age, and many many more.

6 na escadaria, direto de quebec (CAN)…

Subject: Escadaria
“To ouvindo aqui e sem pensar mando algumas
Smells like teens spirit
Alive – Pearl Jam
Satisfaction
Creep
Nossa querida Ana Júlia
Californication (Jesus)

Tem uma rádio rock tiozão aqui que toca essas frequentemente (menos a Ana Júlia né), me dói a alma

Tanto assunto pra opinar, todo mundo fala, todo mundo fala e eu não posso falar.
Sacanagem, posso sim mas deixo passar fico pensando na minha cabeça e depois, que nem vc já disse, acaba perdendo a relevância.

até aqui (ainda estou na Fernanda Abreu) que set list, puta merda

Grande abraço!” 

Gustavo

natália & filipe & luiza, a fortaleza…

Subject: Luiza
“Salve, Mauricio!

Por essa eu não esperava! A patroa mandou uma surpresa inoxidável nesse último Ronca. O programa já está salvo no pc, pendrive, hd externo (e interno!), fita k7 e tudo mais. Nem o apocalipse final me tira essa lembrança. Tudo isso num programa que ainda teve Cohen, Chaka Khan, Bill Callahan e cia.
Luiza, esperta e aficcionada por música que já é, em breve mandará um áudio cantando, a capela, alguma pedrada cabriocárica que ela terá ouvido no ronquinha. Vou me despedindo por aqui que o coração, ainda aos 34 anos de vida, não aguenta tanta emoção.
Forte abraço pra vocês!”
Filipe e Natália, de Fortaleza.