Arquivo da categoria: historinhas

caipirinha, o tempo e LKJ…

Assunto: do tempo do ronca! Digo, do rocka…

“Salve, Simpatia!

Hoje caí da cama de manhã bem cedo, ali pelas 5, e resolvi dar uma volta pelo parque aqui perto de casa. Hora ótima, o dia já claro, ninguém à vista e, por conta disso, pássaros e esquilos aos montes.

Headphone no ouvido, resolvi escutar LKJ. E enquanto caminhava e escutava… me toquei que pra mim o LKJ vem láááááá dos tempos do rocka 26, que foi com toda certeza onde ouvi pela primeira (e segunda, e terceira, e quarta) vez.

E me perguntei o seguinte: de tudo que veio diretamente dessa fonte aí, será o LKJ o mais duradouro? Outras coisas muito queridas que vieram de lá (por exemplo, Echo & The Bunnymen) eu hoje em dia não ouço com tanta frequência, e quando ouço sinto que o tempo passou pra esses outros mais rápido que pro LKJ, que pra mim continua fresquinho como se tivesse saído do forno hoje de manhã.

Mas tô escrevendo mesmo é pra dizer que teve uma música em particular que me levou diretamente pra uma noite de sgunda ou sexta na Flu FM. Essa aqui. “Street 66″. Não sei porque, e provavelmente não é verdade, mas tive a impressão forte que essa foi não só a primeira música do LKJ que ouvi (na vida e no rocka 26), mas que é também minha memória mais antiga do programa da gente.

Será fato, ou será boato? Nunca vou saber, mas a sensação da memória tão antiga foi ótima.

Motivo #1.446.347 pra agradecer. Valeu!”

Marcelo “Caipirinha” (Leeds, UK)

tentando entender…

dia desses, com uma foto da legião urbana (de setembro1984) (clicada pela xeretinha) circulando freneticamente pelas redes, brotou o comentário acima que coloquei no meu coraçãozinho lado a lado com o já clássico: “eles falam de tudo sem falar de nada”, proferido por um anônimo ouvinte e que já virou vinheta do roNca.

a diferença entre essas duas avaliações é que o autor do comentário sonoro tem a exata noção do conteúdo que estava sendo analisado… enquanto a uma responsável pelas letrinhas do insta (dela) está zilhões de anos luz distante da intenção proposta pela xeretinha.

de um jeito ou de outro, as mensagens chegaram onde deveriam e remexeram as sensibilidades dos interessados… biNgo!

( :

J I S U S, aTRIPA barbarizando na dedicação extrema…

tem noção desses 14 nomes acima?

de cara, podemos identificar que são intérpretes bastante conectados ao roNca, procede? pois bem, eles foram mostrados 14 vezes na temporada do roNca roNca na web que começou na Oi fm web, em 11 dezembro2012.

caramba, mamãe, muita emoção… prestenção na grosseria estrogonófica realizada pelo herbert … ele montou um quebra-cabeça gigante com TODAS as músicas tocadas no roNca-web… todas as 7.177 pepitas que foram ao ar em 449 programas até a edição da semana passada… PQP!

sente o tamanho da encreca que o herbert enviou…

“MauVal,

sabe que eu tinha muita curiosidade em saber algumas coisas sobre o programa. Como por exemplo quem é o artista mais tocado. Ou se em algum momento você tocou, sei lá, Green On Red, uma banda que adoro.

Bem, resolvi arregaçar as mangas e criar o Ronca Data. 🙂
Nada mais é do que uma planilha com todas as músicas tocadas nesses 449 últimos programas, onde a bula está no site.

Ainda vou ajustar algumas coisas, como por exemplo consolidar os nomes dos artistas (na lista tinha p.j. harvey, pj harvey, p.j harvey…) e limpar alguns nomes que não são músicas, como vinhetas e trechos falados. Mas já está muito bom.

Dá pra saber já que o artista mais tocado é um tal de David Bowie. Eu jurava que seria Bob Dylan. Nacional foi fácil: Paralamas. Claro, essa lista é enviesada porque alguns artistas ganharam especiais ou tocaram no ronca. Acho que o artista mais tocado que não teve especial foi o Clash. E não, você nunca tocou Green on Red.

Já foram mais de 2700 artistas (lembrando que a planilha separa o “artista” do “artista + artista”, tipo “wado” e “wado & momo”. Conto como dois artistas, por enquanto).

Outra coisa: tirei da lista os programas VAPODN, já que são fora da sequência e nem todos têm a bula (sua letrinha não dá pra entender nada, parece de médico, pqp!).

As músicas que mais tocaram:
two sisters (Kinks e os kinkas)
the ministry of defence (pj harvey)

mas ainda tem que dar um tapa nessa parte porque consolidar o nome das músicas não é fácil.

Enfim, foi divertido fazer. Vou atualizando na medida em que os programas forem rolando.

Valeu!!”

Herbert Rafael

####

CLARO que vamos mergulhar fuNdo na maravilha criada pelo herbert… a curadoria do roNca já está salivando só em pensar como será compartilhado esse raio-X do roNca… D+D+D+D+D+D+D+D+D+D+D+D+

só nos resta agradecer um trilhão de vezes ao herbert!

( :

virgin records antes do foguetinho (ou inverno1975)…

captou a logomarca original ao fundo?

desse jeitinho foi o início da virgin records num beco de portobello road, no inverno londrino de 1975, logo após tubular bells ser lançado e pouco antes dos pistols entortarem o planeta… mal sabia que iria se transformar em foguetinho intergalático pelas mãos de de seu criador, richard branson.

e a cara de vernon yard (reparou nas placas à esquerda do gaitista?) hoje…

juliano, samuca, a macacada e o beijo…

comentei no #446 que conferi o arctic monkeys lado a lado com juliano e samuca, na arena HSBC (rio), em 15novembro2014… lembra?

a xeretinha fez esse registro que capta a inoxidável conexão de filho-pai-música como poucas vezes podemos presenciar… ainda mais nessa oportunidade em que samuca relatou:

– para o juliano, ver o arctic monkeys é como se eu tivesse os beatles na minha frente!

UAU

romulo fróes acertando os ponteiros do tempo…

Assunto: Re: Disco Novo Romulo Fróes

“Mauval meu rei, muitíssimo obrigado pela imensa alegria de anunciar meus filhotes para o mundo, certeza de pé quente para um disco meu, como nunca antes!!!

A título de correção, não fonográfica, mas de natalidade, diferente do anunciado por você, na real meu aniversário e os lançamentos serão no dia 20.06, neste domingo agora e não no 26 como dito por vossa excelência!

Nada que supere, como disse, minha imensa alegria!!

Cheers and very thankz”

R.

deNNis bovell…

a pauta “small axe” tem estado caliente a bordo do roNca e assim seguirá… ontem, no #442, colocamos no ar algumas muitas informações sobre dennis bovell, o lendário músico/produtor/peça rara que compôs/produziu a pepita “silly games”, interpretada por janet kay, procede?

dennis esteve no rio de janeiro, em março2015, como parte da banda de linton kwesi johnson, parceiro de décadas… e a xeretinha registrou:

nossos bigodes jah haviam se cruzado no jazz cafe de londres, em fevereiro1998, e a xerê também chegou junto…

nessa época, no estúdio de peter gabriel / bath, os paralamas estavam mixando o álbum “hey na na” e, claro, deram um cheguete em londres para conferir mister bovell…

o mundo girou e os sons de dennis bovell seguiram pipocando no meu coraçãozinho (the slits, orange juice, LKJ, the pop group, matumbi, discos individuais…) até o episódio “lover’s rock” – da série “small axe” – chegar pra esquentar muito mais minha fissura por ele.

a matéria do los angeles times enviada por luis marcelo (ronqueiro de longa data) mostra estupendamente os caminhos traçados por dennis e pelo episódio dirigido por steve mcqueen… AQUI

D+

seguindo com a missa em louvor a DB, uma imagem de dois anos atrás com ele tocando a música “silly games” num evento sinistróide, coincidentemente, também no jazz cafe e onde – com certeza – o steve mcqueen estava e se inspirou para a clássica cena de “lover’s rock”…

pra fechar, janet kay com dennis bovell no baixo e drummie zeb (aswad) na bateria…