historinhas

aviso aos navegantes…

com grande felicidade no coração informo aos intere$$ados que a loja renaissance discos (na tijuca) passou a operar com cartão de crédito… UHU

afinal, é uma conquista tecnológica onde poucas vezes o comércio planetário ousou se aproximar… aqui está o claudio, possante proprietário do estabelecimento, no solene momento de introdução do dinheiro plástico em um de seus múltiplos (?!) terminais de compra…

que tempos!

( :

pedro “blackhill”, direto de london, esclarece…

ontem, no #337, ao tocar “she’s a rainbow”, lembrei que essa song foi executada pelos stones no brasa através da escolha do público, procede? só que meu HD corroído não demonstrou certeza sobre a situation… pedro “blackhill” acabou de iluminar o fato…

Assunto: ela é um arco de chuva

“ouvindo o #337 agora, D+!

She’s A Rainbow foi pedido da turma mesmo, no segundo show de SP!

cheers!”

######

caramba, olhando para esse setlist, dá pra torrar o hipotálamo e imaginar quantos artistas (de todas as artes) podem oferecer uma obra com essa envergadura moral… quantos?

na boa, please, dá uma outra lida na sequência… e contextualiza a encrenca

mamãe

severino em vinil (ou LKJ no brasa)…

linton de volta ao brasa… não ao vivo como nessa fotoca de QUATRO anos atrás, no rio de janeura… também não em disco Dele mas, simplesmente, na participação MEGA inoxidável na canção “navegar impreciso” (com tom zé) no álbum “severino” dos paralamas que completa 25 anos de lançamento em 2019… JISUS!

acabei de ligar pra maternidade e a criança está indo pro forninho (pelamordedeus, não confunda as coisas)… com nascimento previsto para… breve. YEAH

“severino” apresentou – em 1994 – um som muito fora da expectativa… com forte sotaque brazuka experimental “cabeleira altíssima” sob produção de phil mazanera (ex-guitarrista do roxy music) + participações de brian may, fito paez + LKJ e tom zé numa época onde os dois gozavam do mais completo anonimato (acredite!) + capa estonteante com a arte de bispo do rosário & gringo cardia!

todas essas rotas rumo ao desconhecido só poderiam resultar no disco de menor vendagem da banda… sinistróide. hahahaha… mas “severino” é o típico exemplo de como certos discos conseguem ultrapassar furacões e maremotos para chegar ao cais da modernidade com pouquíssimos arranhões no casco… fueda!

na época do lançamento, 1994, o cd dominava geral e foi feita uma prensagem muito pequena em vinil que, diante da pouca venda, por ali ficou.

duas décadas e 1/2 depois, “severino” reaparecerá – gloriosamente – com tudo que temos direito… D+D+D+D+D+D+D+D+

( :

TOM, lineker, ferdinand, hoddle & liniker…

sentiu o semblante de tom caipirinha levando pra escola a garrafa do tottenham hotspur? e a pressão do pai com o escudinho maroto no carango? hahaha…

TOM, residente em leeds, alimenta (há tempos) uma linda paixão pelo clube do norte de londres e, claro, está vivendo momentos inesquecíveis com a final dia 1junho, em madri.

por falar no tottenham hotspur, prestenção nesse lendódromo – no campo do ajax – quando o lucas faz o terceiro gol… na cena estão: gary lineker (mooooonstro do english team, barcelona e tottenham), rio ferdinand (monstro do english team e manchester united) e glenn hoddle (mooooooonstro do english team e 17 anos de tottenham hotspur), todos comentaristas da TV britânica…

“oh my god, WOW, are you ok? are you ok? silence, silence”

putz, gary lineker e glenn hoddle, juntos, numa hora dessas… é muita pressão!

aproveitando, o nosso liniker tem esse nome porque o pai dele era fã do inglês… pena que trocaram o e pelo i!

( :

vera lucia…

na boa, a sipituca com o sidão – de imediato – me jogou no comentário que fizemos no #335: “já pensou se existisse o feice na época de yoko com lennon?”… lembra?

a pauta do goleiro do vasco nem passaria aqui pelo tico… mas galgaria (e galgará) parâmetros no #336… oxente, ela é o retrato da modernidade.

como tenho ouvido muito sobre a situation, vale a pena colocar aqui algumas (muitas) letrinhas sobre a referida tragédia pessoal (sidão), social, da mídia, do esporte… e afins.

pra começar, algo que ainda não ouvi nem li: dos tais 90% que votaram no sidão, no mínimo, 70% vieram da torcida do vasco… ou seja, quem alavancou a nhaca foram os próprios vascaínos que estavam diante da TV… sofrendo não apenas com o time mas igualmente com os abutres luiz roberto, flores e casão (PQP, tirei o som).

cacilds, o jogo era santos X vasco, procede? majoritariamente, a audiência estava por conta dessas duas torcidas. vamos combinar que, nacionalmente, a torcida do CRVG é bem mais volumosa que a do glorioso esquadrão santista, procede? ainda mais com a chegada do profexô luxa à colina.

o goleiro sidão, trazido ao clube em modo “band-aid na fratura exposta”, foi atacado por um furacão de rejeição dos vascaínos assim que o seu (dele) nome foi anunciado… no próprio domingo, pela manhã, TODOS os espaços noticiando o provável time do vasco, com ele escalado, foram dinamitados pela injúria/ódio dos vascaínos.

pra tornar tudo muito pior, aos primeiros minutos da partida, o possante sidão falhou grotescamente… em quem você acha que os vascaínos votaram em peso como “o melhor jogador em campo”? em seguida, sidão vacilou de novo… lascou. resultado? até os santistas passaram a votar no goleiro do vasco somados aos listradinhos, corintianos, gremistas, tricolores, the red army, west ham hooligans, galoucura, torino mafia, arsenal gunners, campanha na web de sites engraçadinhos…

esse estilo de votação da vênus já havia sido desmoralizado em outras situações… a coisa tinha bandeado para galhofa mas nunca dessa forma tão massacrante… e aí, entra a participação da globo como principal protagonista da barbárie.

no que a tchurma pela-saco da TV (bozós das internas / produção) percebeu que a votação estava tomando um rumo 100% de ironia/macaco tião/galhofa/tiririca, tratou de manter o trem desgovernado até a explosão final com o MEGA mal-estar da entrega do “prêmio” ao infeliz/derrotado/estuprado/envergonhado sidão.

os irresponsáveis da globo não pensaram que – de vez em quando – as coisas têm limite… que existe gente envolvida… que nem tudo são números e $$$ dos patrocinadores… que, ali, naquele momento, deveria haver uma mudança de rota… que os 90% que votaram no sidão seriam descartados para premiar algum dos jogadores do santos que tiveram performances espetaculares… mas não, a vênus seguiu firme com o machado na mão e decepou a alma do sidão que carregava o nome da falecida mãe, vera lucia, em sua camisa… “foda-se, vamos aproveitar pra dar uma gozada nos cornos do clube dele”, teria dito algum FDP no controle da transmissão.

claro, jamais, teriam seguido adiante com o machado afiadão se fosse o cássio a frangar três vezes ou qualquer goleiro dos listradinhos… JAMAIS!

e aqui cabe uma observação: o cássio nunca seria votado, nessa condição de chacota, pela torcida do corinthians porque ele tem crédito e é um ídolo do clube… assim como o juninho pernambucano não seria pela torcida do vasco após perder três pênaltis… já o sidão, coitado, não tem relação alguma com o clube… e neguinho é mau feito o pica-pau.

enfim, infelizmente para mim, o sidão foi educado e “aceitou” o prêmio… eu queria ver se ele tivesse o espírito de um loco abreu, de um vampeta, de um edmundo… a globo correu um risco muito alto de colocar no ar, em rede nacional, o sidão dizer pra desorientada repórter:

– “tive uma atuação decepcionante e não posso aceitar essa premiação por mais que ela seja fruto da gozação e de uma brincadeira de vocês numa situação onde o profissionalismo não deveria dar espaço à chacota… mas aproveitando o clima de zoação sem graça da globo, gostaria que você levasse esse prêmio lá pra sua cabine e enfiasse no rabo do luiz roberto, do flores e do casão”

isso teria sido épico (Épico)… sidão seria aclamado nas ruas. puxaria uma carreata com botafoguenses, banguenses, tricolores, americanos… teria estátua em são jujuba e encerraria a carreira (UFA) tal e qual um gladiador!

prevendo o risco, a vênus já comunicou mudança na forma de premiar o melhor em campo… acabou o tempo da comédia… e, infelizmente, não teremos a possibilidade de alguém recitar o “poema” do sidão.

de nada serve a avalanche de desculpas, perdões e arrependimentos dos envolvidos… já era. que tivessem sido machos para se manifestar na hora H, no ar, LIVE. dois ex-jogadores pipocaram historicamente… o desrespeito, a covardia e o banditismo da vênus estarão cravados forévis em uma de suas muitas páginas negras… fueda!

pra fechar…

Sidão passou por problemas de drogas e bebidas, após tentar suicídio em uma fase de sua vida, sofreu com depressão por sentir culpa na morte de sua mãe, e no jogo de hoje, foi humilhado em rede nacional. Hoje, jogou com o nome de sua mãe na camisa e teve uma das piores atuação de sua carreira

pra fechar2, deixo aqui a crônica do santista xico sá quando o vasco faturou a copa do brasil 2011. certamente, ela explica muito porque a modernidade (de qualquer época) sempre (i repeat: SEMPRE) quis distância do CRVG…

a soundtrack do soundtrack…

charles (de maceió) fez barba-cabelo-bigode e mandou a relação das músicas tocadas no filme “soundrack”, de selton mello… além da citação do responsável pela dita cuja: o estrogonófico dudu marote… D+

ainda não cruzei com o filme mas, ao final, nos créditos, sobe a ficha de todas as músicas “cabeleira altíssima”… segura o tranco:

Hilliard Emsemble and The Western Wind Choice – Miserere

Kristina Blaumane and The Lithuanian Chamber Oschestra – Concerto For Violoncello and Strings II: Longing

Stephen Clark – Primary Balloon Landing

Eluvium – The Motion Makes Me Last (four tet remix)

Nande Reko Arandu – Xondaru’ I

Polmo Polpo – Like Hearts Swelling

A Winged Victory For The Sullen – Atomos VII (Greenhouse re-interpretation)

Mo Kolours – Biddies

Goldmund – Turncoat

Caspian – High Lonesome

Hammock – Dark Beyond The Blue

Johann Johannsson – De Luce et Umbra

Near The Parenthesis – Reunion

Grey Reverend – Little Eli

Thomas Köner – Nunatak

Thomas Köner – Ilira

Moondog – Up Broadway

Wiener Philharmoniker, Sir Georg Solti – Das Rheingold: Vorspiel

The Eye of Time – A Perfect World

Mathew and Toby – Rocketnumbernine

trilha (ou não-trilha)…

o estrogonófico charles (de maceió), componente milenar d’aTRIPA, enviou (durante o #334) um pombo informando que determinado filme brasileiro já havia utilizado o moondog em sua respectiva trilha sonora.

voltando a fita: no #334, ao comentar o filme argentino “o anjo”, do alto de minha empolgação com a produção musical do dito cujo, eu disse que essa era uma das prováveis diferenças entre o cinema hermano e o nosso: usar um músico obscuro (e genial) como o moondog na trilha… lembra?

enfim, charles lembrou que o filme “soundtrack” (2017) de selton mello…

####

Fala, Mauval!

Olha aí, já teve Moondog sim no cinema nacional.
No “longinquo 2018”, logo depois de assistí-lo, escrevi um textinho lá no instagrão.
O filme é Soundtrack, com Selton Melo, que vive um fotógrafo que passa um tempo numa estação de pesquisa na Antártida, pesquisando novos sons e imagens para uma exposição e lá em determinado momento ele é apresentado ao nosso herói.
Segue aí o trecho do filme com a cena (tá lá embaixo)…

####

infelizmente, não cruzei com esse filme do selton… portanto, não sei em qual situação a monumental cena apresentando o moondog foi incluída mas respondi ao charles dizendo que, nos meus versos, essa apresentação ao som dele não significa usá-lo na trilha sonora do filme como foi feito no “o anjo” onde várias músicas servem de base para a narrativa do filme… inclusive, sem nenhuma info de quem as interpreta.

enfim, catei informações na web na expectativa de encontrar algo que confirmasse a utilização da música de moondog no filme… e, como uma anta cibernética que sou, não achei nada… pode até ser que a Música de moondog tenha sido usada como trilha. amém

mas na cata pela informação, também não encontrei a relação das músicas tocadas no filme e sequer fiquei sabendo se existe um disco com elas… caramba, no roteiro do filme, o personagem do selton vai para uma base polar de cientistas para fazer selfies enquanto ouve músicas “cabeleira altíssima”… jisus, não seria importante anunciar a soundtrack para tanta entrega e determinacão? well, well, well… não achei nada.

restou dar uma busca na produção musical do filme… de repente, através do responsável por algo tão importante na estória, eu chegaria a tão sonhada lista de músicas inspiradoras ao personagem do selton… foi quando ao me deparar com o cartaz do soundtrack, em meio a um desfile de produtores & caciques, não pipocou UM nome sequer ligado à música do filme…

na boa, fica difícil entender o descaso (lembrando, sou uma anta cibernética) com algo tão importante num filme que se chama SOUNDTRACK… claro, já estou na missão de assistir ao filme, torcendo para ouvir  – no mínimo – uma criação de moondog e outras tantas pepitas inoxidáveis.

depois de toda essa ladainha, mantenho a idéia de nossa diferença cinematográfica com os hermanos… papo de 3 a 0 pra eles

pic-nic…

tranquilão, no teto da notre-dame, em abril1981…

o incrível – para os tempos atuais – é como era possível ficar por horas no teto da catedral de notre-dame sem ninguém encher o saco, sem ninguém dizer “não pode isso”, “tempo esgotado”, “cadê seu passaporte?”… que momento!