“preto & branco”

“preto e branco” em são paulo…

muito bom informar que a loja locomotiva discos está com o livro “preto e branco” em suas prateleiras juntinho com a mais fina seleção de pepitas sonoras…

locomotiva

Rua Sete de Abril, 154 – (Rua Alta / subir escadas rolantes) – Loja 8
Galeria Nova Barão
(Metrô: Anhangabaú ou República)
(Entrada também pela Rua Barão de Itapetininga, 37)
Aberta das 10h às 20h.
(sábados até as 18h – domingo fechado)

silvinho da portela, caçulinha & “preto e branco”…

entre as muitas razões que me levaram a encontrar adelzon alves (na quinta feira), estava o desejo de passar para o monumento o livro “preto e branco”…

adelzon.livro.tico

no que adelzon começou a folhear o dito cujo, instantaneamente, ao se deparar com determinada imagem (eu preferi não ver por onde ele estava passando os olhos), bradou:

– silvinho da portela

aí, claro, pulei em cima para saber qual fotografia exibia silvinho da portela…

silvinho

HAHAHAHAHA… que momento… adelzon tascou o dedo no cidadão de chapéu que há 40 anos (a foto é do carná de 78) alimenta nossa imaginação… e repetiu:

– silvinho, puxador de samba da portela por muitos anos

pra confirmar a gloriosa identificação, perguntou a caçulinha (assistente do programa e VIOLONISTA de PIXINGUINHA) que assinou embaixo:

– silvinho da portela

mamãe, que noite… que lendas, que Histórias!

xeretinha, evidente, pirou com caçulinha…

caculinha.tico

cheers

thiago confirmando…

thiago.pb

Assunto: Foto em Pauta com atraso, CiNNapão e coNfirmando!!

“Fala Mauricio,

Só agora consegui um tempo pra te mandar esse email em forma de abraço. Foi sensacional o Foto em Pauta e ouvir todas aquelas estórias sobre as fotos só serviu pra engrandecer ainda mais nossa admiração pelo seu trabalho! Inoxidável mesmo!!

Ficamos felizes demais em saber que gostaram do CinnaPão! Foi uma honra ver as fotos no site e ouvir a degustação no programa. Sem palavras pra agradecer a força. Seguiremos aqui com a produção sonorizada pelo Ronquinha!

E como não poderia deixar de contribuir aí vai minha CoNfirmação do Preto e Branco junto com outras pepitas de peso! Não a toa o “Preto e Branco” é a base sustentando todo o resto com a bênção de Ron Carter no fundo.

Grande abraço pra você e Shogun

Grazi também manda beijos e lembra que já já Hélio chegará pra aumentar a torcida e entrar pro time de Carmela e cia..”

Thiago

ainda (muito) queNte…

melque.pb
“Fala Mauricio! Tudo bem cara?
A tecla do reverb continua acionada por aqui, mesmo depois de sua passagem.
Esperamos de coração que vc tenha gostado da hospitalidade mineira. A gente é meio desconfiado mas, depois que pegamos amizade, que no caso com vc já vem de alguns anos, nos tornamos como amigos de infância.
Fiquei deveras impressionado com o teu livro e as histórias de cada foto. Imagino quantas outras vc deve ter para os próximos projetos. Valeu muito a pena ter ido. Foram mais de 100km de deslocamento e quase 3 horas de estrada pra chegar até o memorial. Cheguei cedo, sujo pois fui direto do trampo mas lá estou eu na foto logo na primeira fila, atento aos “causos” e ao final fui presenteado com o manto do Ronquinha FC.
Esperamos que volte logo e desde já o convite está feito. Quem sabe anime a assistir em BH um jogo do Galo x Vasco com as torcidas misturadas e conhecer as demais iguarias da culinária futebolística mineira, hehehe.

Forte abraço e fiquem com Deus!”

Melque
São Gonçalo do Rio Abaixo – MG

+

“Oi MauVal!

Demais o evento aqui em BH! Inoxidável o Preto & Branco!! Obrigado por compartilhar tanta beleza com a gente, seja com o olhar de fotógrafo, quanto com as pérolas e pedradas que você atira toda semana no nosso som!

Como não queria alugar muito tempo e seu ouvido no Foto em Pauta, depois de uma longa fila de autógrafos, resolvi escrever umas palavrinhas sobre as lembrancinhas musicais de BH que eu te entreguei!

MARIMBAIA, do Leandro César é o disco resultado de um projeto que ele desenvolve há alguns anos. Foram 12 marimbas que ele construiu, pesquisando madeiras e outros materiais (uma das marimbas tem as teclas feitas de porcelanato!) e a partir daí, ele e outros músicos compuseram as 10 músicas que compõe o álbum. Ele trabalhou com o Marco Antônio Guimarães fundador e construtor dos instrumentos do Uakti. No Parque das Ruínas aí em Santa Teresa, desde o ano passado conta com um parque musical que tem instrumentos de metal construídos pelo Leandro. Eu participei da criação da identidade visual do Projeto Marimbaia desde o início e o Lucas Dupin, artista visual aqui de BH, é o responsável pela criação e construção desse objeto-disco que conversa com a essência artesanal e única que circula todo o projeto Marimbaia.

Já o disco da banda The Junkie Dogs eu não tenho nenhuma relação direta, mas é uma banda de rock daqui que eu gosto muito e não guarda nenhuma semelhança com o outro disco… :) Já tinha um disco deles aqui em casa e ganhei uma nova cópia no show que eu fui deles há alguns dias atrás aqui em BH, o qual eu repasso para o Jumboteco!

Minhas sugestão para tocar em algum programa vindouro é a música 9- Quatro Anjos do Marimbaia do Leandro e do Junkie Dogs a música 3- Chasing Rapture.

Grande abraço e muito obrigado mais uma vez!”
Thales

thales,amorim.pb

pautaNdo com aTRIPA…

pauta.tico
“Vixi Mauval… Difícil explicar. A gente busca tanta coisa na vida né?. E de repente vê de perto – imagem e palavra – a busca de uma pessoa que batalha tanto pra haver verdade no trabaho, no olhar. É legal demais. O seu trabalho inspira muito, tanto na música quanto nos caminhos/descaminhos… Eu me identifico e acho que o Brasa precisa de mais pessoas com essa sua forma de encarar a vida. Acho que é isso ahahah. Também no sentido interior de espalhar essas ideias aqui pela região do sul de Minas, que tem sido meu trampo desde 2010, na área da Cultura, e desde 98 com a banda. Sei lá… o roNquinha é um portal mesmo; pro conhecimento, em todos os sentidos.

Eu ia fazer uma pergunta la do dia em BH, mas não deu tempo. Se quiser responder… Seu trabalho no Preto e Branco destaca muito a beleza negra. E na música também. O que eu penso que devia ser a procura “normal” das pessoas que comunicam, acaba sendo um olhar “diferente”. Tem uma solução pra gente, se a gente passar por essa beleza, não tem?

Lindão o livro. Fera demais! Viajei acima? Hahahahahaha… grande abraço”

Pedrinho

+

“Mauvall, rapaz. Que emocionante ver os seus posts sobre a noite em BH.
Não sei nem o que dizer. A gente fica aqui ilhado entre essas montanhas, nessa rocinha que hospeda a tradicional família mineira, e não imagina que possa receber de volta tanto carinho. Noite inesquecível.

Como eu sempre te peço alguma coisa, vai mais um pedido. Será que você descarregou também o registro da xeretinha que tem você no palco com a gente? Fotógrafos não gostam de ser fotografados, eu sei. Mas vc não faz ideia do quanto estar ali naquela foto, entre amigos, e com você é legal pra mim.

Se tiver fácil aí, manda por favor! Vai pra parede do meu escritório.

Abraço.”
Thiago

+

“Fala Maurição

Demais os relatos de BH.

Seu Público é que nem a torcida do Flu, é selecionado, é curioso, é culturalmente superior, é formador de opinião, isso tudo independente da classe social, por isso o meu interesse em sempre ligar o BIBI ao RONCA.

E o sucesso dessa mostra é o resultado do seu trabalho, da sua luta, da sua persistência e da sua originalidade. Quando o Shogun falou no programa, da importância de figuras como você, Kid Vinil e o Fabio Massari, é isso aí mesmo, vocês são gurus mesmo. Eu não sei se você leu o que a coluna que o Zeca Camargo escreveu sobre o Kid Vinil, eu acho que foi na Folha, e se aplica perfeitamente a você.

E pra finalizar, eu como seguidor, só posso ficar muito feliz por esse sucesso todo.

Se precisar de camisa, é só falar.

EURICO FOREVER.

Abração”

Sergio

aTRIPA & o “preto e branco”, ontem (em BH)…

bh15.plateia

well, well, well… para começar, um detalhe da rapaziada que compareceu, ontem, no “foto em pauta”, em BH.

para seguir neste relato, devo informar o seguinte…

eu sempre choro (isso, blu blu fortão) nas seguintes situações:

– quando sinto sodade da gabriela

– toda vez que lembro do herbert me mostrando a demo de “alagados”

– quando resgato do meu coração a voz de um amigo que disse: “o que é salvar um sábado seu quando você salva a minha vida há mais de trinta anos”

– quando vejo o vasco entrar em campo

e

– toda vez que sinto na pele o carinho, a cumplicidade, o companheirismo, o amor incondicional d’aTRIPA… PQParille, não tem jeito, nada segura o aguaceiro… assim foi, ontem em BH… só me resta agradecer a todos que prestigiaram mais uma edição do “foto em pauta”.

para neguinho ter noção da situation, basta dizer que fernando furtado (O responsável por fazer minha conexão com o eugênio sávio e peça fundamental na confecção do livro) foi barrado no baile… isso, não entrou, barradão. assim como muitos outros. SOLD OUT!

ou seja, todos os espaços foram tomados pela rapeize… todos os livros foram vendidos, todas as camisetas foram dadas… enfim, a chapa ferveu no lindo prédio do memorial minas gerais vale…

bh2memo

bh6escada

mas, antes de tudo, a tal passada básica com fernandão pelas ofertas sonoras…

bh3fernando

e pela degustation ostentation do especialíssimo bouza…

bh5bouza

oferta do tomás, uruguaio como o vinho, testemunha ocular de SETE finais de champions league, torcedor do nacional de montevideo, fã fervoroso de meu tio ondino (que está registrado no livro) e que não mais largou o artefato…

bh4tomas

o trelelê fotográfico começou bem antes da hora marcada (19:30)…

bh7exp

bh8memo2

não é fácil entrar num recinto e dar de cara com meus pais projetados na parede…

bh10lia

afe, a barra pulsou brutalmente e a grosseria começou a remexer minhas entranhas.

a casa abarrotou e eugênio iniciou os sirviços…

bh9savio

bh11savio2

foram projetadas todas as 142 fotografias do preto e branco com intervenções do eugênio e minhas… ao final, algumas perguntas pipocaram… e o embalo não se alongou muito por conta do horário de entrega do auditório… em seguida, aTRIPA chegou forte para mais uma demonstração de amizade cabeleira altíssima…

bh12atripa1

bh13atripa2

bh14atripa3

evidente, o “pensamento” mais ouvido foi:

“cadê, shogun? cadê, shogun?”

cheers & obrigadalhaçaço

( :

olha o exemplo dos espinhos que apareceram…

Assunto: Que tristeza! Que azar!
Data: 25 de maio de 2017 20:30:24 BRT
Para: Mauricio Valladares <programa@roncaronca.com.br>

E aí, Mauricio! Tudo bem?

Cheguei ao memorial às 19h32. Senhas esgotadas com direito a já 5 contemplados da lista de espera. Dei uma choradinha e nada. A moça da recepção disse pra esperar sem compromisso. Chega um rádio falando pra não liberar mais nenhuma senha. Que tristeza!

Então, o esperto aqui resolve ir ao banheiro. Quando voltei o segurança me avisa que liberaram mais duas senhas, ele foi atrás de mim e não me encontrou. Que azar!

Fica pra próxima!

Sucesso sempre!

Viva o Ronca! Viva a Tripa! Viva MauVall!

Um forte abraço,”
Ton

e o exemplo das flores que abundaram loucamente…

“Saímos com a felicidade estampada no rosto em ter lhe conhecido, foi emocionante para nós este encontro. Você faz parte da nossa história.

Fiquei pensando sobre como relatar o que significou para gente estar lá, mas me faltam palavras porque estou emocionada até agora.

Somos seus fãs, agradecemos pela sua sensibilidade e por nos proporcionar tantos momentos de alegrias com seu trabalho e toda sua história.

Simplesmente obrigada, foi uma ótima noite.”

Elba