tristeza

perdemos referência…

acabei de ser esmigalhado pela notícia da subida de alexandre gontijo… que chamo de referência desde o dia (lá pelos idos de 97/98) em que Ele chegou pra mim e disse: “odvan é uma referência”.

gontijo é o maior conhecedor de futebol que conheço… fissurado em música, foi “ghost writer” de oldemário touguinhó no JB. assinou coluna no globo.com sobre jogadores brasileiros que tomaram caminhos desconhecidos no planeta. um poço de irreverência, inteligência, sagacidade sempre carregando uma sacola de supermercado com livros e jornais. tão apaixonado por futebol que ia a TODOS os jogos no maracanã, do time que fosse… uma leNda.

certa vez, eu estava com uns ingleses apaixonados por futebol num estabelecimento manguacento quando avistei o referência passando na calçada… claro, chamei a peça e fiz a devida apresentação… no que ele sacou a origem dos cachaceiros britânicos, abriu a sacolinha e puxou a biografia (original edition) de um treinador irlandês de futebol que jamais chegou à primeira divisão do UK… well well well, não é preciso dizer que os súditos da rainha desabaram de suas cadeiras diante do fato TOTALMENTE inesperado/insólito/psicodélico/estrogonófico!

sábado negro, triste ao extremo, perda gigantesca em todos os níveis, menos um brasileiro para manter a referência viva… FUEDA!

alexandre “referência” gontijo forévis

) :

jon hiseman…

toda vez que esbarro com o márcio (da tropicália discos), ouço a pergunta em alto e bom som:

– maurição, cadê a baqueta do jon hiseman?

e a baqueta segue desaparecida… PQP, essa é uma da minhas mais inoxidáveis relíquias. capturada num show do tempest, em londres /janeiro de 1836… sinistro, muuuito sinistro (como diria o gigante januário de oliveira).

caramba, guardei num lugar tão especial que ela tomou doril. imagina, um fino pedaço de madeira que fica amoitado em qualquer buraco… ainda mais uma baqueta quebrada como Ela é… mamãe!

um dia desses o tesouro surgirá das profundezas e será gloriosamente exibido aqui no tico.

mas tudo isso para informar – com o coração sangrando de tristeza – que jon hiseman subiu nas últimas horas para encontrar com cartola e hendrix… fueda.

PQP, ele é O baterista de um disco fundamental da minha vidinha “things we like” de jack bruce (gravado em 1968 mas lançado em 1971)…

ok, o disco também tem a participação do batera john marshall que nem está creditado na capa… portanto, é jon hiseman que segura a marimba nesse clássico.

sobretudo aos grumetes bateristas que circulam aqui pelo poleiro, vale muito navegar pelos mares sempre criativos de jon hiseman… e não faltará água já que hiseman deixou dezenas de discos e gravações no Utube…

jon hiseman, leNda, forévis

) :

 

roger kedy…

infelizmente, foi confirmada a subida de roger kedy, ex-vocalista/guitarrista do grupo obina shok.

em julho de 2012, pipocou aqui no poleiro, a lembrança da fortíssima presença que a rapaziada multiracial de brasília teve em meados dos anos 80… de como a primeira demo veio parar nas minhas garras (flu fm) e a sequência de fatos que fez o obina shok galgar parâmetros… tá tudim AQUI!

em outubro de 2014, também aqui no poleiro, caí de boca no MEGA inoxidável show (foto acima) que o obina realizou no parque lage com o IRA, em outubro de 1985… isso, 1985… relembre AQUI.

no início de 1986, com o nome circulando loucamente pelas bocas & ouvidos dos fissurados em sons, o obina shok assinou contrato com a RCA e lançou o disco de estréia com as participações de gilberto gil e gal costa… a xeretinha registrou o momento em que roger e GG acertaram os ponteiros durante a gravina…

em seguida, veio mais um disco e o imediato desmonte da banda… ou seja, o obina shok estruturado sequer existiu por três anos… triste.

pra fechar, as letrinhas de juça (do circo voador):