“cine shogun” reverberando forte (são 40 minutos de quarta feira)…

atripa

“mauriciao,

coloca ai o #168 na “lista” dos melhores de 2016 … o ano vai descendo pelo ralo e nao podemos esquecer dessa perola …
shogun + pedras rolantes + cineshogun (definitivamente shogun é cabriocaricamente importantissimo com a lanterna na mao) + eddie vedder (porra mauriciao, gosto pra caralho dessa musica… emocao forte) + cat (pqp, a historia do jobi foi fantastica ) …  papo eterno … folclore eterno
foda …
cara, o q vc acha de fazer um especial jah jah rastafari …. regguera forte … fumacê rolando soltinho ?!!??!! .. somente uma ideia  … nao gosto de palpitar pois sou apenas um fissurado ouvinte e aprendiz
d+
parabens e obrigado”
diego (sp)
+
Assunto: :)

“Hey, you! Que saudade!!

Tudo bem?

Quase um mês sem roNca nas orelhas! Como eu sobrevivi, não sei!
Sei que é como voltar pra casa, ser acolhida e ter alguém falando minha língua.
Recuperarei as edições passadas aos poucos, em doses diárias de mauvaldices, podexá…
Besos”
Tarciane
+

 

Assunto: O que Shogun viu?
“Caro Mau Val: no #168 que ora escuto, quando Shogun tenta se desincumbir da missão de nos iluminar com o Cine Shogun, você perguntou a ele se, por acaso, ele achava que João Saldanha e Nelson Rodrigues haviam visto 50% das pelejas que viram, em anos e anos de Maracanã.
Tanto isso é verdade que cabe uma anedota: reza a lenda que Nelson via os jogos no anel de baixo do Maracanã, com Armando Nogueira do lado. Lembremos: Nelson era míope de tudo. Daí, quando terminava o quebra-canelas, o irmão do Mario Filho perguntava: “Armando, o que nós vimos mesmo, hein?”.
Fora as histórias de Saldanha, que davam um livro – aliás, davam, não, deram. Livro, filme…
Abraços cabriocáricos”
                                          Felipe