crisis?

“Salve Maurício!

Em mais um dia de manifestações, com no mínimo o triplo de manifestantes que haviam na segunda feira, fica difícil de prever o que vai acontecer no futuro da cidade (e conseqüentemente, do país).A palavra que fica no ar,  apesar da violência (de ter ficado cercado na Lapa, mais de 3 horas trancado dentro de um bar, por causa das bombas que não paravam, do gás lacrimogênio, da polícia que baixava o cacete em quem estivesse passando, de ser alvejado por policiais por simplesmente estar andando na calçada, bem distante dos “conflitos” e do vandalismo, que mais uma vez, a polícia iniciou, e de chegar em casa e ter que aturar toda a distorção midiática), enfim….tomando ar depois disso tudo : a palavra é esperança.

(ps:para o caríssimo Ferrare a quem tanto prezo, apesar do analfabetismo funcional por  não entender o  óbvio :   a putrificação da situação ( que chegou a um nível que beira o insuportável) não se iniciou em 2003, quando o PT teve um representante assumindo a presidência (embora tenha se perpetuado, e talvez amentado com o PT), Mas há décadas e décadas antes disso. A filhadaputagem não faz distinções partidárias, está em todas as esferas e legendas, das quais nenhuma me representa, então foda-se a origem.Mas fique tranquilo, se um partido quiser me dar um $$$ pra que eu o elogie, pegarei de imediato uma barca rumo a Paquetá, onde gastarei os primeiros cents da imunda verba dando um troco pra baldinha pra conhecer assim o tão amplamente propagandeado ball cat (que já possui fama  interplanetaria). Darei inclusive, um troco pra você colocar  o “crisis?what crisis?” do Supertramp pra sonorizar esse momento, apesar de eu preferir o “crime of the century” ou o “breakfast in america” dessa infame banda.Cheers  :)

Abraço”

Z´ (da mar´)