diz aí, blackhill…

Subject: ele pê rua noites
MV,

quando o Malkmus e os Jicks vieram ao Barazil, troquei uma idéia com o batera, Jake Morris, depois do show no Circo, no dia seguinte àquela grande noite na Baratos
ele falou que está na banda há pouco tempo (entrou no lugar da Janet Weiss, do Sleater-Kinney) e que toca também numa banda chamada Street Nights, que estava para lançar um vinil, e anotou pra mim o bandcamp da banda: http://streetnights.bandcamp.com/
no mês seguinte fui lá e comprei o tal álbum, que chegou sexta passada
mas, incrivelmente, ele me mandou 3, e não só o um que comprei !
então, estou com o dois para te entregar !    :)
o três também está com rumo certo: O Taner !
ao contrário dos Jicks, nessa banda o Jake não toca bateria, mas canta, além de ser o autor de todas as letras  (menos de Everybody’s Sometime and Some People’s All The Time Blues, do Kevin Ayers !)
ainda não consegui ouvir o álbum, tenho que dar um jeito na minha vitrola, que não está rodando, mas, pelos clipes que vi, é bem bacana
(estou tentando articular com ele uma versão digital pra download pro bandcamp, ele parecia estar confuso quanto a isso)
a banda é de Portland (OR), e, preciso dizer, há tempos que a “cena” de lá tem me impressionado bastante
aliás, Portland e Nashville são dois dos pontos do zeua que mais têm chamado minha atenção ultimamente, em relação às bandas
o Street Nights conheci com o próprio Jake, mas, antes disso, através do selo Gnar Tapes, encabeçado pelo Erik Gage (cuja alcunha musical é Free Weed), passei a ouvir um bando de bandas inter-relacionadas, como The Memories, White Fang, Guantanamo Baywatch, Love Cop, BOOM! …
é gente que não pára de fazer música, tem rocks pegajosos, eletrônica, sons bem dementes, lo-fi …  atividade frenética !
e, de Nashville, a primeira banda que me derrubou foi o Diarrhea Planet, cujo primeiro álbum, Loose Jewels, é muito cabiludo !
o disco foi lançado pelo selo local Infinity Cat, que também abriga outras da “cena”, como Jeff The Brotherhood (grande representante), Heavy Cream, Natural Child …
outra banda de lá que merece boa atenção é o Blank Range – dê uma ouvida em Phase II, é demais !
o e-mail era só pra dizer que quero te entregar o vinilo do Street Nights, mas acabou nessa enchente !
abração !
pedro “blackhill”