o #250 reverberando…

atripa

Assunto: Ligações musicais

Caríssimo Mau Val,
o #250 me deu mais uma prova de como o roNca é useiro e vezeiro em fazer nossas sinapses funcionarem, fazendo ligações musicais.

Ouvindo aqui a “Crime bárbaro” de Rincón Sapiência, imediatamente fui remetido a “Dor e dor”, de Tom Zé, por obra e graça da base hipnótica da música.

E desta, para o verdadeiro “sampler” que forneceu a base rítmica a “Crime bárbaro”, meu pedido para o #251: “Jimmy, renda-se”, do mesmo Tom Zé.

Bom ver o roNca de volta

Atenciosamente,”

Felipe

a bula do #250…

pete

the who – “magic bus” (ao vivo)

mauricio pereira – “trovoa”

burning spear – “pit of snakes”

aleka – “selele” (7″)

faces do subúrbio – “meu deus”

the damned – “i just can’t be happy today”

the brats – “be a man”

the vibrators – “london girls”

baiana system – “capim guiné”

hussein el mary – “allah alik”

carmela – “popstar” (inédito)

el cuarteto de nos – “ya no se que hacer conmigo”

di melo – “a vida em seus métodos diz calma”

grant hart – “pink turns to blue” (ao vivo)

grant hart – “she floated away” (ao vivo)

husker du – “green eyes”

dirty three – “three wheels”

lift to experience – “when we shall touch”

etta james – “spoonful”

malavoi – “la filo”

rincon sapiência – “crime bárbaro”

pere ubu – “final solution”

the who – “the acid queen” (ao vivo)

the who – “pinball wizard” (ao vivo)

ouça AQUI o programa

free_radio

weapon_tico

os K7s (ou os fantasmas suécos)…

Assunto: Fitas k7 ou (os fantasmas no sótão)

“Mauricio estou dando aquela geral no AP e encontrei esses exemplares em meu sótão. Eu estou morando há 3 anos com esses seres em meu telhado. Não tenho equipamento para reproduzi- los. Pensei em você a primeira coisa quando fiz este achado. Uma inscrição à mão diz Q uma das fitas pertenceu a uma tal de Helen e contém ” músicas de amor variadas “. Você tem interesse que eu lhe envie  essas fitas ? De outra forma penso em fazer algum tipo de arte com elas.

Forte Abraço.”
Gustavo.
Lidköping – Suécia

k7

o #250, hoje, às 22h, aqui mesmo…

250

que lindeza de número, hein?

e pra fazer a devida afinação ao momento (que dia esse!!!), o jumboteKo chegará abarrotadão de pepitas… tais como: THE WHO, di melo, dirty three, GRANT HART, burning spear, CARMELA, rincon sapiência, the damned, el cuarteto de nos, lift to experience… e muuuuuito mais.

tudim com nandão, a leNda, encostando as pontas

é às 22h, aqui mesmo

barrada na porta…

ferrare

Governador Valladares, soube que você vive momentos bastante descontraídos no festival que começou e acabou. Aliás tiro a chapeleta para a organização integralista do festival. É proibido entrar com talco, pompom, rímel, camisinha, bermuda, enfim é tudo proibido. Tanto que nem música entra naquilo. A música é barrada na porta.
Uns amigos meus dos tempos de Paquetá compraram ingressos em 80 vezes com juros só para ficarem embaixo da tirolesa. As mulheres passam voando lá em cima e no meio do caminho gozam, Gov. my Gov. Meus amigos abrem a boca e bebem aquele nectar delicioso que, como chuva no Peru, jorra lá de cima. Aliás, curiosamente ainda não é proibido gozar no festival.
Me convidaram para participar do evento, diária de 40 reais (Emitindo nota fiscal). Querem que eu trabalhe na função de alvo. Por enquanto o esporte está em fase experimental (FOTO) mas quando o branco sair e entrarem os crioulos o colete será retirado e aí vale tudo.
Gov. my Gov. como o festival é criativo e exigente. Só sobe no palco quem dá a bunda (machos) ou esmerilha a persiana (fêmeas), uma demonstração de diversidade radical e linda, sabia? Várias pessoas fazem selfies comigo, especialmente a minoria branca aecista de Minas Gerais que quer guardar de recordação um registro com um crioulo retinto e caralhudo como eu. O problema é que, como todo aecista, enquanto fazem a selfie eles enfiam a mão no meu bolso, levam minha grana e depois cheiram até cerol de pipa apreendida pela organização do festival.
Governador, quem andou perguntando por você aqui foi Mulato Veloso. Ele me disse que está fazendo um filme cinemanovista pós contemporâneo de vanguarda chamado “Bronha em Transe” (A incompreensível história de um punheteiro que virou primeira bailarina do Bolshoi). Rodando feito pomba gira, Mulato estava fissurado por um morrão fumegante, que também é proibido aqui, e acabou fumando cola de Corega para cães.
Quem não para de andar na roda gigante é Milton Mete em Negro. Ele chega cedo, paga, entra, senta. Quando a roda gira ele se esconde embaixo do banco. Quando ela para de novo e sentam umas meninas ele molesta todas, até o neto de Golda Meir, Golda Meir Neto cujo cabaçote sucumbiu ao serrote. Bravo Mete em Negro. Outro chapão seu que, escarrando no chão e coçando o saco virtual, te mandou um abração foi Fernando Brasil que trabalha na Rádio Relógio, autor do raikai “o minuto é um milagre que não sei repete”. Mas isso é assunto para outro post. Ummagumma Ferrare, Interstellar Overdrive, Zona Oeste, UK.

o SGR#14, hoje, às 23, rompendo barreiras sônicas…

pink1

a gente vem numa sequência casca grossa lá pelos lados da rua do russel 434, lembra?

semana retrasada, recebemos adelzon alves (mamãe!!!)… na passada, tivemos beto barreto lançando “capim guiné” (AFE!!!)… e hoje, PQParille, colocaremos no ar – em AM,FM e web – um dos mais cabriocáricos momentos de nossa passagem pelo solo terrestre.

sério

às 23h, na rádio globo