marden ocupaNdo…

Subject: Playlist ocupatempo
“Essa playlist tá demais!

Já escutei 4 vezes (se tiverem monitorando execuções, tô atrapalhando, rs).
O duro da quarentena é a falta de ronca…mas entendemos. Sorte que ainda estou no #377, escutando devagarinho pra não acabar.
Se cuida aí!”
Marden

tem olhado pra Ele? (ou o céu que nos protege)…

os teóricos estão descabelados em análises profundas desse tempo ao redor… já percebeu?

mudanças à vista em todas as gavetas. situações inéditas, zilhões de fichas caindo (tipo “como nunca percebi isso?”)… e, talvez, a mais definitiva, uma realidade que nunca testemunhamos e que, provavelmente, jamais voltará a ser exibida.

uma dessas novidades é o céu? já levantou os olhos para encarar o “teto”?

como uma verdadeira aNta ambientalista, há dias venho olhando pra Ele… admirando, pensando: “mas que luz é essa”? ok, a época do ano ajuda muito… cheguei a comentar com algumas pessoas sobre a lindeza Dele, em todas as 24 horas.

até que fernando cravou: “tá foda mermo, culpa da falta de poluição”!

mamãe, claro… caramba, não tem busão, carro, fábrica, neguinho cuspindo pra cima, restaurante empestiando as ruas com gordura…

quando sua cidade respirou um ar tão puro e saudável? (que momento, hein?)

e ainda recebi essa matéria sobre a pauta… AQUI

a bula do #381 / VAPODN#15 (especial family com ed motta)…

family.logo2

family – “drowned in wine” (ao vivo / 1972)

family – “scene through the eye of a lens” (7″ / 1967)

family.single1

family – “boots and roots” (it’s only a movie / 1973)

family – “the chase” (music in a doll’s house / 1968)

dolls

family – “3 X time” (music in a doll’s house / 1968)

family – “stop for the traffic” (a song for me / 1970)

a.song

family – “today” (old songs, new songs / 1971)

old

family – “dim” (entertainment / 1969)

family – “strange band” (7″ / 1970)

family.single2

family – “song for sinking lovers” (a song for me / 1970)

family – “holding the compass” (anyway / 1970 / ao vivo)

family – “willow tree” (anyway / 1970 / ao vivo)

anyway

family – “larf and sing” (fearless / 1971 / vocal poli palmer)

fearless.capa

family – “in my own time” (7″ / 1971)

family.single3

family – “bolero babe” (bandstand / 1972)

family – “broken nose” (bandstand / 1972)

bandstand

family – “ready to go” (bandstand / 1972)

family – “face in the cloud” (entertainment / 1969 / vocal ric grech)

entertainment

family – “buffet tea for two” (it’s only a movie / 1973)

family – “burlesque” (it’s only a movie / 1973)

movie

ouça AQUI o programa

free_radio

weapon_tico

o #381 / VAPODN#15, hoje, às 22, com…

biNgo!

family & ed motta, juntinhos, no especial que deslocou o eixo da terra em agosto2016, em plena olimpíada carioca + operação-participation trigonométrica de shogun e a nave descontrolada pela exibição da caixa retrospectiva do family trazida por nandão, três anos antes… sério, fico pasmo com a velocidade do roNca.

mas o VAPODN#15 não ficará apenas nesse cardápio, teremos novidades perturbadoras na comunicação do especial utilizando as mais avançadas ferramentas tecnológicas… é muita emoção… prestenção forte na performance transgressora do roNca roNca que irá ao ar nesse inesquecível 26março2020… ok?

#381, hoje, às 22h, aqui mesmo no poleiro

(+ spotify, itunes, mixcloud, google podcasts, tunein, castbox…)

roNca roNca “ocupa tempo” #1, no spotify…

playlist  zeradão que quase foi batizado de “olho parado”… quase!

a TI (tá indo) do roNca tem suado para colocar aqui no tico a configuração da situation do spotify mas tá difícil… alguns afirmam que é a demanda global por esse tipo de ocupação sônica… hummmmmm, sei não.

anyway, anyhow, anywhere (salve, pete!), a sequência de 22 gemas já está lá no spotify te esperando… o mais garantido nesses tempos “hello crazy people” é procurar por mauriciovalladares… juntinho como não devemos ficar. cruzes!

claro, com yuka – de boné roNca – olhando por nós… amém

infos e questionamentos para programa@roncaronca.com.br

cheers

tá com tempo? isso, ele mesmo, o tempo…

pelo menos, nesse mergulho que a humanidade está experimentando, não tem como aquele matusquela te responder do mesmo jeito de anos:

– pô, cara, desculpe mas tô sem tempo

hahahahaha… ficou ruim pra essa tchurma muuuuuuito ocupada, procede?

se existe, atualmente, um material farto e abundante no mercado é o tal do tempo… que já estamos utilizando de forma inédita, jamais pensada. na boa, eu nunca imaginei que conseguiria colocar todos os cds que foram usados nos últimos muitos anos em festas (e sonorizações diversas) em suas respectivas capas… ok, ainda não completei a tarefa mas não faltará tempo. sente a pontinha do iceberg…

outra ótima utilização do dito cujo é ouvir discos que, dificilmente, haveria t _ _ _ o para eles… afinal, sempre foram colocados de lado, ignorados, traídos, esquecidos… PQP, que tristeza, quanta maldade… mas aí, eis que chegam esses t _ _ _ _s de clausura e a gente consegue dar atenção à gerações e gerações de discos espetaculares que não foram devidamente ouvidos, entendidos, acariciados, valorizados.

conclusão, estou com vontade de colocar aqui no tico alguns desses momentos (frequentes) de felizes reencontros onde surpresa, alegria e – sobretudo – o sentimento “quanto t _ _ _ o joguei no lixo” são mixados descontroladamente.

como por exemplo, hoje, ao me aproximar (cheio de amor pra dar) do genial vibrafonista gary burton… UAU… e acompanhado por eric gales, chuck rainey, richard tee, em 1970…

ah, e tem gente ali marcando o t _ _ _ o de butuca ligada e boca suja de nha benta… hahahaha

depois que a xeretinha fez o click que percebi o título do disco…

“GOOD VIBES”

D+

que tal? vamos adiante nas paquerinhas?

( :