alceu valença

“incendeio esses tempos glaciais”…

ronca.mic2

Quando eu canto o seu coração se abala
Pois eu sou porta-voz da incoerência
Desprezando seu gesto de clemência
Sei que meu pensamento lhe atrapalha
Cego o sol seu cavalo de batalha
E faço a lua brilhar no meio-dia
Tempestade eu transformo em calmaria
E dou um beijo no fio da navalha
Pra dançar e cair nas suas malhas
Gargalhando e sorrindo de agonia
Se acaso eu chorar não se espante
O meu riso e o meu choro não têm planos
Eu canto a dor, o amor, o desengano
E a tristeza infinita dos amantes
Don Quixote liberto de Cervantes
Descobri que os moinhos são reais
Entre feras, corujas e chacais
Viro pedra no meio do caminho
Viro rosa, vereda de espinhos
Incendeio esses tempos glaciais

(Alceu Valença)

refletiNdo…

Subject: tomaNdo umas #350
“MauVall,
        Tudo bem?
        Ainda não ouvi o programa inteiro, mas já vi que vou sair cambaleando depois que acabar.
        Só para registrar, a versão de “Espelho Cristalino” é especialmente especial. E pelo jeito a canção sempre trás histórias cabeludas.
        A primeira vez que ouvi a versão do Alceu, foi numa roNca session de 09/11/2010, com o Marcelo Jeneci, e depois que vc toca o Alceu, ele emenda com uma das mais belas músicas que ele já compôs (Por Que Nós) e depois vc e Nandão conversam com ele sobre como ele teve contato com o moço nordestino. Você até fala da cara de felecidade que o minino fez…
        Quando ouvi a versão dos Blues Etílicos, sério cara, o blubluzão foi fortíssimo, por conta do primeiro contato com a música do Alceu!
        Fueda!! Fueda!! D+ d+ d+
        Obrigado, cara!!! De verdade!!!
        Grande Abraço,”
Eduardo
(curitiba)