arthur dapieve

em nome do pai, do filho & do espírito saNto…

dapieve.buckleys

confesso que foi de tremer as perninhas quando explodiu, aqui no poleiro, o áudio do “especial buckleys”… mamãe!

há quase onze anos eu não ouvia esse programa… e é muito curioso resgatar uma levada de roNca bastante diferente da atual… lembrando que, naquele período, o jumboteKo singrava os ares – AO VIVO – para rio de janeiro / BH / vitória & recife… casca!

confirmando que esse áudio existe, exclusivamente, por que aTRIPA enviou pra gente.

fica um gosto forte de orgulho-prazer por ter levado ao ar duas horas e meia com tim & jeff… algo que estará cravado com “o fogo da paixão sônica” para toda a eternidade… ou como costumamos afirmar: até mesmo quando restarem sobre a face da terra apenas os discos de vinil, as baratas e os áudios do roNca… AMÉM

acabei de pescar a fotoca acima com dapieve, jack e jeff eternizados pela xeretinha durante a realização do programa, em 5dezembro2006… quando o estúdio da rádio ainda era na avenida presidente vargas, centro do rio!

cheers

10!

 

que situacão, hein?

falando neles, desentoquei uma coluna do arthur dapeive (o globo) publcada, exatamente. no dia 10 de maio…

de 1997.

dapieve se esparramou sobre o fim do sugar, banda de bob mould… e trouxe o husker du à tona.

no meio do texto, ele se lembrou de algumas letrinhas minhas:

se vai ter husker du amanhã no jumboteKo?

hein?

( :

+

delirante esta imagem…

percebeu, né?

dá pra sentir o cheiro do estúdio!!!

se eles estarão amanhã do programa?

ha ha ha…

e esta “dúvida” aqui…

Subject: Toca The Fevers

E aí MauVal, tudo bem?! Sou eu, seu correspondente de Duque de Caxias, André. Era eu que estava com a camisa do Vasco, na festa.
Cara,sobre a festa, não tenho do que reclamar, foi legal de mais! O ponto alto, foi quando você tocou The Fevers. Maurício, você não tem ideia do que essa música significa para minha família. Ela rola em todas festas que fazemos até hoje. Então, gostaria que você tocasse ela amanhã, no Ronquinha, e dedicasse ela à minha mãe, Dona Ana. Seria um presente meu de dia das mães, mesmo que atrasado. Grande abraço!