brasília

cineDF!

 

começando a sessão com o tal um que, no início dos 80, ajudou a berrar pelas bandas candangas…

sentiu a “marra” na porta da modern music?

( :

já na funarte, pela comemoração dos 50 anos da cidade, teve um “cabeleira alta” que gritou lá do meio do gramado…

“quem vai à festa roNca, dia 7 de maio, levanta os braços” 

e não é que os popsonics levantaram…

o céu por testemunha!

claro que a música candanga já havia nascido muito antes das primeiras guitarradas de renato & seus bluecaps…

o russo, claro!

mas vale a pena lembrar que foram esses dois caboclos, a seguir, os pioneiros a contar para nação a existência de um som “tipicamente” criado no DF!

para minha felicidade, estivemos together  na comemoração pelas cinco décadas da capital…

e click:

captou os peças?

( :

+

Subject: Richman e otras cosas
“MauVal,
Tudo bem?
Ainda estou meio em parafuso com o fim de semana passado. Ter assistido Hermeto Pascoal, Jonathan Richman e Lucio Maia solo em uma tacada só é emoção demais pra mim! Praticamente um Coachella!
 O show do Richman no Circo foi o epicentro dessa doideira sonora e nem fiquei triste de só ter 60 pessoas pra recebê-lo pq era isso mesmo que eu achei que ia ter! Pro mal ou pro bem, esse é o público do Rio de Janeiro e mesmo assim a gente ainda tem esse privilegio de ver o cara num Circo Voador… vai saber até quando! 
 Enfim…
 Eu já estou um tempo pra te mandar esse email pra mostrar uma foto que tirei em janeiro no Nordeste, em Natal mais especificamente, trajando o Manto Sagrado. 
 MauVal, obrigado por mostrar música boa pra mim nos últimos 13 anos, que é mais ou menos o tempo que ouço o Ronca.
Abraços!”
Otaner
+
voltando à capital…
numa de suas canjas com as novas bandas locais, marcelaço (o “rubro-negro”, manja?) chegou na beira do palco e mandou em alto e bom som:
“brasília tem a maior concentração de filhos da puta do país…”
neguim nos arredores demonstrou preocupação…
em seguida, U.K arrematou:
“mas ao mesmo tempo, é o maior centro da juventude politizada no brasil”!
e vazou feliz da vida… como todos!