danuza leão

a leoa…

vinha eu fritando, ainda agora (são 15h), na visconde de pirajá… maçarico na escala 40!

sinister!

de repente, uma pessoa cruza meu caminho… acerta o rumo…  e seguimos na mesma direção!

vi as costas, o cabelo, a roupitcha… o encanto!

pensei eu com meus botões:

– mamãe, será Ela?

acelerei… e, lado a lado com o monumento, tive certeza!

para não atrapalhar, sussurrei:

– danuza!

Ela parou e cantou:

– sim!

mamãe, o dia que já estava MEGA iluminado… estremeceu de tanta luz!

tive forças para, ainda, sussurrar:

– só para te dizer que sou muito muito fã… seu

Ela, como uma bailarina, ecoou pela ipanema dela:

– muito obrigada

eu? comecei a voar!