jimi hendrix

tradition, the future, outer space, electricity, armageddon, death/rebirth…

http://www.youtube.com/watch?v=pn0btWk46jU

The History of Rock ‘N’ Roll in 1 Song

In his new book, Greil Marcus brings us The History of Rock ’n’ Roll in Ten Songs. But rock only needs one—Jimi Hendrix’s 1968 “Voodoo Child (Slight Return).”
 
.

“The great Greil Marcus, whose rock-critical illuminations—in books likeMystery Train and Lipstick Traces—sent stroboscopic shafts into the black forest of my early manhood, is about to publish a volume titled The History of Rock ‘n’ Roll in Ten Songs.

So naturally my first thought was: I bet I can do it in five.

And my next thought was: Nah. Five songs is too many. And also too few. Five is a clutter, a randomness, a gallimaufry.  If it’s not going to be 10, it’s got to be one. The history of rock ‘n’ roll in one song.

And if you want a song that does it all—that includes tradition, the future, outer space, electricity, armageddon, death/rebirth and the first stirrings of music itself—then there really is only one song: “Voodoo Child (Slight Return)” by the Jimi Hendrix Experience.”

aproveitando o niver Dele, hoje…

“Cacildas, Mauval!!

Electric Ladyland! Você tem o disco com essa capa das senhoritas bastante à vontade? Lembro que você me disse uma vez que este é seu disco favorito! Já li que o Hendrix não gostava dessa capa. Parece que a arte foi desenvolvida pelo departamento de arte próprio da track records à revelia do gênio. Ele preferia a capa da edição americana com fotos da Linda Eastman.
Engraçado/curioso como os selos que lançavam os discos Dele nos EUA e na Inglaterra eram diferentes e parecidos. ahahaha Na Inglaterra o selo era um voltado para o rock mais prafrentex que rolava, a Track Records, dirigida pelos empresários do The Who. Nos Estados Unidos, era a gravadora do Frank Sinatra, a Reprise Records, que na época lançava artistas como o próprio clã Sinatra, Sammy Davis Jr., e também Kinks (para o mercado americano), Joni Mitchell, Neil Young.
Coisa fina!
abraços e SV,”
Igor
detalhe:
só coloco, aqui no tico, as capas fotografadas dos discos em vinil que são tocados no programa.
como, ontem, o electric ladyland foi executado em cd… não foi preciso usar as imagens que ilustram a mensagem do igor!

FÉ cega!

ok, caso você não queira acreditar… beleza, sem poblema!

mas vou relatar o fenômeno quântico/psicodélico/meteorológico/cabeleiraltíssima que aconteceu ainda agora.

como eu disse ali embaixo, fui ouvir meia horinha de “electric ladyland” para me aproximar, ainda mais, do aniversariante de hoje.

catei a primeira edição que tive do disco… cacilds, há muitos anos eu não o tirava do plástico protetor!

mamãe… que emoção… logo hoje!

enfim, passei uma flanelinha e taquei agulha no lado A!

chovia para meirelles na cidade de são sebá… mas chovia muuuuuuuito!

hendrix entrou que foi uma beleza em meio à tempestade… sinistra!

“and the gods made love” me virou ao avesso! o vinil estalava para todos os lados dando ainda mais autenticidade ao “corpo a corpo”!

estás captando a vibe?

“have you ever been to electric ladyland” violentou meus sentidos, minhas lembranças… caraca! comecei a sentir cheiros, ouvir vozes, ruídos…

ok, sempre foi assim com Ele. juro!

“crosstown traffic” deu uma sacodida… fiquei mais alerta… a turbulência melhorou, quer dizer…

na passagem para “voodoo chile”, pintou uma claridade no ambiente, o vento sossegou, os pingos silenciaram…

“voodoo chile” entrou com o SOL… o tempo mudou radicalmente. da tempestade para o mais ensolarado minuto de 2012!

como assim, bial?

hahaha… como assim? é sempre assim com Ele… ainda mais, aos 70, exatos!

a xeretinha tratou de registrar a desorientação cósmica:

qualquer hora dessas, conto a Historinha do autógrafo que tenho nesta edição do meu disco favorito de todos os tempos…

e com todos os tempos!

( :

é o amor…

vamos começar as Historinhas ocorridas em belzonte, de sexta a sábado, ok?

e pela saideira, ao sabor portenho… bem carnívoro… onde, meu camaradaço ricardão (lembra? marquee, stones & cia)

apareceu com esta MEGA raridade:

hahaha… isto mesmo…Ele… JIMI… o HENDRIX!

VERDADEIRÃO!

o fato (que já estava na minha gaveta do esquecimento):

ricardão conheceu em 19&preto&branco uma mocinha suiça…

papo vai, papo vem… ela disse ter trabalhado como camareira no park royal hotel, em londres.

até aí, tudo beeeeeeeeem normal!

só que a fulustreca, lá pelos idos de 69/70, teve como hóspede um tal de james marshall…

que realizava ALTAS festonhas no “apê”!

e aí, entrava em campo a camaradagem de nossa heroína.. que zerava o “campo de batalha”!

pelo profissionalismo, Ele agradeceu no cartão postal do hotel!

o mundo girou… e, anos depois, a fofa DEU o souvenir para ricardão!!!

PQParille… fiquei por um longo tempo com a relíquia nas mãos… viajandão!

( :

vivinho…

Subject: Jimi Hendrix se vivo fosse .
“Fala MauVal !
 Lembro me de que em um Ronca Tripa(1989 ou1990) você especulou  que se Hendrix fosse vivo estaria fazendo um som tipo Public Enemy ( na época o som dos caras era o tinha de mais “prafrentex” na música) .
Quando li o texto nesse blog (link abaixo), lembrei disso. O autor imagina como seria o trabalho de Hendrix nas décadas seguintes  caso ele não tivesse subido pra bater papo com Cartola.
 abç.”
Rodrigo

Hendrix- A inquieta trajetória de um sobrevivente dos anos 60.

pimenta nos ouvidos…

( :

loucura doida, total!

esta apresentação do experience no saville theatre (centro de londres) aconteceu três dias depois do lançamento de “sgt pepper’s”.

hendrix – fissuradão nos beatles – comprou o disco no dia do lançamento… e tirou a música para fazer surpresinha à tchurma de liverpool… que havia confirmado presença no show… dia 4 de junho de 1967!

macca & george… subiram pelas paredes!!!

e, certamente, foi para eles – nas primeiras filas – que hendrix recomendou cuidado com os ouvidos!!!

hahaha…

que momento!

( :