joe jackson

por exemplo: 7.9

esse negócio do tempo é muito louco!

assistir ao planetinha sonoro girando, girando, girando… sem sair do lugar é casca grossa!

lembra quando em algumas edições do jumboteKo foi levantado o assunto “dez anos”?

hein?

quando comentamos que de 1967 a 1977 aconteceu quase tudo, de bom, criado na música… recorda?

de beatles (o sargento pimenta) a sex pistols & derivados… ou seja, os melhores discos da bossa nova, de fela kuti, da música eletrônica, do reggae, do DUB, da MPB, do rock, do psicodélico… de tudo!

em DEZ anos! 1,2,3,4,5,6,7,8,9 e 10!

pois bem, 2012 já está no segundo semestre e… zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz…

ok, uma coisa é uma coisa… outra coisa é outra coisa… sabemos!

na boa, saudosismo passa longe, muuuito longe, de meus pensamentos… eu só quero é ser feliz… hahaha!

tenho muitos amigos – de todas as idades – que defendem a teoria que 1972 foi a melhor safra da música planetária.

conheço neguinho que compra disco pelo ano, manja?

é de 1972? o caboclo paga e leva… e depois, apura se valeu a pena! sério!

perco um tempo arretado pensando nessas coisas… qual a razão de ter funcionado num determinado período?… ou de ter minguado em outros?… caramba, a década 67/77 me tira o sono… e tenho menos condição de dormir se olhar pro nosso passado recente!

e aí, fico divagando, viajandão… tipo:

prestenção em alguns lançamentos de 1979, numa lista com artistas muito próximos ao roNca, climão bandas novas da época:

joy division – “unknown pleasures”

the clash – “london calling”

gang of four – “entertainment”

the specials – “the specials”

public image limited – “metal box”

elvis costello – “armed forces”

the police – “reggatta de blanc”

talking heads – “fear of music”

the silts – “cut”

madness – “one step beyond”

beleza? listinha rápida, sem puxar muito pela memória, ok?

pois bem, quantos destes você acha que resistirão aos próximos 100 anos?

todos?

creio que sim!

claro, estão na minha lista de favoritos de 1979… mas, no meio deles, arrumo espaço para outras duas joias do mesmo ano:

joe jackson com “look sharp”… e joe jackson com “i’m the man”

eles poderiam ser um álbum duplo do mesmo quilate de “zen arcade” do husker du / “bitches brew” do miles… mas foram lançados separadamente.

na boa, sou taradaço pelos dois!

semana passada, consegui a edição especial do “i’m the man” que foi lançada, em 79, no formato de cinco compactos numa caixinha + poster da capa… coisa de doido:

( :

tá certo… não cabe mais, nos dias de hoje, uma Super banda, um Super intérprete… sabemos que tudo é muito espalhado… gavetinhas…

difuso, foco curto… as trocas são rápidas, a “fome” é grande… ok, sabemos disto há um tempão… até aí, morreu neves…

mas eu quero é me arrupiar com mais frequência com uma nova gravação… quero me empolgar como foi quando ouvi strokes pela primeira vez… ou arctic monkeys, jeneci, orquestra contemporânea de olinda, flying lotus, ruído/mm, burro morto, macaco bong, tinariwen, fleet foxes, animal collection, tim hecker, bon iver… blábláblá… manja?

tipo, a música “dois cafés” de tulipinha & lulu santos… do ainda inédito segundo disco dela! D+!

quero mais… simples assim!

“simples assim” é jeito de dizer… afinal, não dá pra embarcar na xaropada que há tempos está rodopiando porraí, em grande escala!

os entendidos dizem que, globalmente, o cinema está em crise… a literatura está em crise… as artes plásticas estão em crise… o teatro está em crise… a televisão está em crise… o vasco está em crise… o facebook está em crise… a europa está em crise…

a música, também, está em crise… de criatividade, como todos!

êita!