marquee

marquee+

isso é que é se divertir num palco, hein?

( :

detalhe: o marquee começou no início dos anos 60 em oxford street… em 1968, se mudou para wardour street (soho) onde teve sua fase áurea… em 1988, já agonizando, foi para convent garden… onde foi, definitivamente, enterrado.

o local original em wardour street virou um restaurante!

o primeiro palco tinha o formato de uma tenda de circo. inúmeras imagens de hendrix, cream, who, stones foram registradas com esse visual. na segunda versão do marquee, o palco tinha umas listras… e na seguinte, no início dos 70, foi colocado o logotipo da casa no fundo do palco!

a fase convent garden tem uma única importância: os paralamas tocaram lá e serico foi expulso da casa após levar um “bumbo” da balconista… claro, tudo na mesma noite… mamãe!

negativos & positivos (85) [marquee club]…

a maioria dos que aqui passam, certamente, já ouviu falar do marquee club!

também pudera, no diminuto palco de wardour street (1964-1988) algumas das maiores bandas planetárias iniciaram

suas Histórias: the who, led zeppelin, the jimi hendrix experience e the rolling stones só para lembrar de quatro!

cravado no coração de londres, o marquee abriu espaço para centenas de novos artistas como joy division, XTC, elton john, the jam, the yardbirds, pink floyd, david bowie, sex pistols, genesis, generation X, moody blues, police, wire,  jethro tull, the damned, yes…

a capacidade da casa era por volta de 500 pessoas… mas, em algumas ocasiões, chegou ao dobro…

como nas apresentações de hendrix quando a temperatura infernal não deixou a afinação da guitarra ficar em paz!

enfim, mesmo não tendo um site como mereceria, não faltam informações sobre o marquee.

mas voltando ao nosso terreiro…

ontem, acredite, sonhei com o marquee!

HAHAHAHAHAHA… PQParille!

sonhei com os shows que vi, com as pessoas que encontrei, com os momentos totalmente chamberlain,

com as filas sob temperaturas glaciais… enfim, sonhei que estava no paraíso junto com a xeretinha…

todas as fotos foram clicadas em 1973/1975 com péssimas condições de luz e mãos “trêmulas”…

jan akkerman (focus), no meio, jamming com o spencer davis group:

sutherland brothers & quiver (autores de “sailing”, hit com rod stewart):

MEGA baixista glenn cornick (ex-jethro tull) com o wild turkey:

em alguns shows, tinha dura em quem estava com máquina fotográfica… cheguei a me separar da xerê em poucas ocasiões… portanto, quando eu não queria passar pelo perrengue, elazinha ficava mimindo!

o marquee era um dos raros locais onde você não precisava saber quem estava tocando para ser feliz.

não havia chance de uma porcaria subir ao palco… e mesmo que essa possibilidade rolasse, o dejóta da casa

valia pelas libras desembolsadas e a cerveja, jamais, decepcionou!

dá uma entrada aqui pra assuntar, ano a ano, quem esteve lá!

claro, tirando o fato daquele ar ser respirado… de imaginar hendrix, ombro a ombro, no corredor apertado…

do zep lançando “whole lotta love”… delirante… sonho! UAU!

entre as inutilidades que guardo, posso afirmar que essa camiseta – devidamente emoldurada – está entre as

mais inoxidáveis:

wet dream!

( :

“The reason I liked The Marquee the most was because it was scruffy and it had no air-conditioning whatsoever and it was a hellhole and your feet stuck to the carpet and that’s exactly what arock’n’rollclub should be like.”

Lemmy (Motorhead)

a Luz…

não faltam motivos para eu me arrastar pelas sarjetas do rio de janeura.

tipo:

– creca de bernardo no vascão

– chegada de momo

– indefinição quanto ao futuro do roNca

bastam estes três?

pois é, totalmente moribundo, resolvi melhorar o astral dando um chego, ontem, no sebo baratos da ribeiro (em copa).

no que adentrei ao estabelecimento, mauricio – o proprietário – informou:

“acabei de dar o compacto roNca para essa turma”

avistei três caboclos com os olhos arregalados e entrei no papo:

“ôpa, bacana. tomara que vocês gostem”

o xará seguiu a apresentação:

“este é o mauricio que faz o programa e lançou o compacto. ele já viu um monte das bandas que vocês gostam. pergunta pra ele…”

atropelando as palavras do xará, um dos mosqueteiros mandou na minha lata:

“pô, você conhece o capability brown?”

PQParille, pensei com meus botões… caraca, não ouço o nome dessa banda há uns trinta (30) anos…

e respondi:

“sim, não só conheço como vi uma apresentação deles no marquee, em 1974”

well, well, well… os mosqueteiros desabaram… dizendo:

“caramba, não acredito… porra, você VIU o capability brown no marquee CLUB em 1974??????”

bem, a partir daí, ficamos quase uma hora conversando… e trocando de figurinhas.

e a mais valiosa que consegui, foi quando perguntei pelas idades das peças e tive como resposta:

“cadú, DEZESSEIS / henrique, DEZESSETE & gabriel, DEZESSEIS”

HAHAHA… inacreditável! os mosqueteiros sabem TUDO de música. basicamente rock progressivo de todas as épocas.

LOUCURA… me fizeram perguntas cascudíssimas e ficaram sem respostas… tentei consultar ed motta do brasil, em vão…

aprendi bastante com eles… e lamentei pra meirelles não estar com a xeretinha!!!

de repente, avistei dois “traficantes” de discos deitando os cabelos nas pepitas que eu tinha ido ver e me despedi do trio cascudaço aço aço!

em tempos onde a banalização corre solta, principalmente, na garotada… conhecer cadú, henrique & gabriel me fizeram esquecer bernardo, vasco, momo… enfim, só mantive preocupação com o roNca…

e, acima de tudo, deixei o sebo com certeza de ter visto a LUZ no fim do túnel!!!

mas antes, quando percebi os mosqueteiros saindo do sebo, notei que um deles havia comprado um Lp…

e perguntei ao xará qual era a pepita… resposta:

– milton nascimento, “milagre dos peixes, AO VIVO”, de 1974!!!

muita emoção!

( :

no que cheguei em casa, tratei de dar um trato no disco do capability brown…

( :