taj mahal

fábio e o #346…

Subject: Pelo Ben do Taj Mahal
“Caríssimo MauVal,
Eis que depois de quase sofrer um acidente automobilístico ao ouvir a primeira nota do Sir Ayler ser reproduzida no falante esquerdo do automóvel numa curva suspensa da cidade de CONTAGEM-MG (berço do punk nacional), não pude passar pelo #346 sem TRÊS observações de suma importância. (Vale dizer que agora com o podcast consigo escutar o ronquinha durante dois dias seguidos, pois gasto uma meia hora para ir e voltar do trampo).
1. Wim Wenders e Aprendenders é uma lenda do jornalismo cultural de belo horizonte, pois foi exatamente com essa expressão que um digno repórter da roçatrópole intitulou uma matéria sobre um dos filmes do alemão em um grande periódico daqui — faz uns quinze anos.
2. apesar da estrada apocalíptica, itambé do mato dentro é um pedaço de local paradisíaco enfiado no meio do vale do jequitinhonha, cujas cachoeiras tive o prazer de visitar lá pelos idos de 2008. recentemente, descobri que um amigo passou num concurso para professor municipal e está dando aulas de português lá. mande um abraço, o nome dele é Paulo.
3. também há uns dez anos, caiu na minha mão, por intermédio de um amigo alemão, na Alemanha, um CD ao vivo do Taj Mahal — o cara havia alugado o disco numa biblioteca municipal berlinense. A música que abre o disco é nada menos que uma releitura de “Taj Mahal” de Jorge Ben, mas invertida: o nome é “Jorge Ben”, tocada por Taj Mahal. Não teve esse negócio aí de plágio, a cavalheirice rolou entre os dois parças.
Grande abraço!”


Fábio