túlio brasil

túlio brasa (NYC) acertando as infos passadas ontem, no #395…

Prazer em participar! Mas já preciso fazer uma correção. O orçamento de NYC aprovado para 2021 na verdade está maquiando os números. Ao que parece, na verdade a polícia não terá o orçamento cortado; mas sim distribuído em outros departamentos. Aqui em NYC existe um extensivo programa de presença policial nas escolas. Pelo novo orçamento, esse programa continua mas passa a ser de responsabilidade da secretaria de educação. Ou seja, o dinheiro continuará indo para o policiamento, mas a partir de uma pasta diferente… Também foi decido em manter a paralisação na contratação de novos professores. Ou seja, estava sendo otimista demais 🙂 Vai ter mais luta!
Para quem se interessar no assunto:

segue reverberando a visita de brasinha ao #370…

Subject: #370 #371
“Véspera de feriado fui de combo ronca ronca, não poderia deixar de ouvir a participação do nosso querido Túlio. Que onda ein! O menino (não mais tão menino rs) tá brilhando no mundo, fico feliz por ele, principalmente por não estar aqui  nesse país horrendo que está ficando e o Rio então, nem se fala…

Aí no segundo podcast eu tô lá curtindo o prog diferentao e lembrei, puxa nunca mais ouvi Soft Machine. Acaba a música e taran! Era Soft Machine hahahah.  Que surpresa boa. A moça que cantou Leonard Cohen eu também gostei demais, de uma melancolia comovente na voz, quero mais.
Espero ouvir mais o ronquinha em 2020, é incrível o poder da música em tempos difíceis. Resistir!
Um grande abraço”

Tatiana
+
Subject: Encontros e desencontros #370
“Mauval e Nandão, salvem 2020!

Senhores, escrevo para compartilhar esses encontros, desencontros e conexões que a música nos proporciona. Ali pelos idos de 2013, eu acho, tive a oportunidade de escrever para um site de notícias e crítica musical que se chamava Fita Bruta (ainda se chama assim, mas tá inativo). Fui convidado pelo Yuri de Castro e foi uma experiência muito legal de fazer parte, mesmo a distância, de uma parada que juntava uns caras muito jovens, mas com um ouvido e um olhar curiosíssimo, antenados, e dispostos a experimentar na produção dos textos, numa reflexão sobre a música, de onde ela vem e pra onde ela vai. Era uma proposta muito interessante e um dos camaradas desse site era o Túlio, que escreveu, por exemplo, que eu me lembro assim de cabeça, uma bela resenha sobre o primeiro álbum do Kiwanuka, lá em 2012.
Eu não tive o prazer de conhecer essa turma pessoalmente, mas fiquei felicíssimo de ser apresentado ao Túlio aí, no #370, como membro da Tripa e confirmando não só que estamos todos muito bem acompanhados aqui, como eu tava certo também sobre a turminha ali do Fita. Os meninos eram o futuro.
Prazer, Túlio! Alegria conhecê-lo.
Abraços!”
Thiago
BH

brasa!

 

túlio brasil é uma lenda do roNca… com cadeira cativa no jumboteKo!

aí, muita gente vai perguntar a razão de toda essa “consideração”… né mesmo?

tudo começou no exato dia do lançamento do livro dos paralamas com minhas fotos, em junho de 2007.

não é preciso entrar em muitos detalhes aqui… já que usualmente me recordo deles “publicamente”.

anyway, túlio – a bordo de seus 17 anos – segue firme no leme do jumboteKo… sim, a nave é guiada por leme.

para atravessar maremotos & furacães, ela deve estar em boas mãos… deve estar sintonizada com ouvidos fresquinhos, sem cicatrizes, aptos a receber toda e qualquer informação e frenéticos na caça de novidades… como os do túlio & seus bluecpas.

esta é a minha alegria (e certeza) – poder colocar o jumboteKo nas garras de quem conhece a rota! manja?

pois bem, o “motora” esteve sexta passada na festa e mandou o seguinte pensamento:

Subject: Teórico

“Oi Maurício,

Que festa boa heim. Eu fico impressionado com sua facilidade de mesclar pares tão diversos da música num mesmo set. Essa sua visão que vai além do óbvio e conecta tudo. Em lugar nenhum eu vou numa festa que toque Rubinho Jacobina, Fela Kuti, Franz, bandas de Forró, punk rock, Jimi Hendrix e tantos outros nomes. Não estou no meu melhor momento para desenvolver o que é essa ponte cujo caminho foi descoberto por ti, mas é incrível a forma como isso acontece. 
.
Tua forma de expor a música faz com que eu fique aberto a todas as direções que a arte oferece. A proporção que isso toma é tamanha que depois de uma aula dessas eu fico com receio de dizer que não gostei de algum pontapé. Fora que eu não gosto de ver você rindo daquela forma ‘puta que o pariu’ hahahaha, nem sei se é bem assim. De certeza eu não tenho nada, mas porra, muito obrigado pelas oportunidades que você dá pra gente. Não vejo ninguém para fazer o que você faz hoje.
.
Tamo junto. Menos no futebol 😀
Abraços,”
Túlio
( :
como são muitos lemes a guiar o jumboteko (daí a desorientação absoluta), aproveito para mostrar uma carta recebida há 22 anos…
captou, pelo estilo, o autor da missiva?
ha ha ha…
trata-se de marcelo “caipirinha” ainda em solo pátrio… e desorientadaço com o pouso da nave.
tempos do roNca tripa na rádio panorama, em nilópolis!!!
muuuuuuuuuuuita pressão no turbo!
H, sabe de quê… né?
culpa da tossida!!!
( :
olha o adesivo desejado pelo marcelo…