uruguai

“pepe” mujica…

aTRIPA chegou forte com a entrevista de nosso presidente (ué, se a fronteira vai pro brejo!) à TV bandeirantes, no domingo.

muitos e muitos pombos!!!

como, por exemplo, o leonardo (de victoria)…

Assunto: A Erva e o Mujica
“Salve,

Quando o aprendiz Carlos Castañeda perguntou ao xamã Dom Juan, seu mestre tolteca, qual é o caminho correto a ser seguindo na vida, ele respondeu: “qualquer caminho merece ser seguido, desde que no final tenha um coração”.
O livro “A erva do Diabo” pode ser considerado literatura de segunda, mero realismo fantástico.
Mas esse ensinamento nunca me saiu da cabeça.
No domingo, nosso mestre agricultor Pepe Mujica concedeu uma entrevista à BandAid, que me lembrou o velho Dom Juan.
À sua frente não haviam três experientes repórteres (Boechato, Mitre e Panúnzio), mas fãs.
Foi evidente o estado de graça dos entrevistadores à frente da lenda viva.
O que mais me chamou atenção foi a ênfase humanitária do Presidente.
Só de ser quem ele é, chegar onde chegou, e permanecer sendo quem é, já o galga a ganhar o Nobel da Paz (sendo certo que doaria a grana).
Não conheço a biografia completa do Pepe, mas a cada dia fico mais emotivado com suas palavras e ações.
Domingo de muita felicidade: Vascão vencendo com raça, nosso goleirão uruguaio fechando o gol e Mujica dando aula de humanidade no fim da noite.
São líderes genuinamente carismáticos e iluminados como ele que precisamos para termos uma política voltada ao homem e não ao capital.
Sempre fico perplexo quando leio sobre (bi)milionários drogados, prostituídos e suicidas, enquanto há Mujicas felizes e desconhecidos pelo mundo afora.
Ele traz tanta paz e sabedoria juntos que sua riqueza interior não necessita de “ostentação” (palavra da moda) externa.
Parecia um rei serenão sentado com aquela calça levantada até os joelhos, sandálias de couro envelhecidas, camisa de botão entreaberta, seus cachorros andando entre suas pernas, e a entrevista em meio ao matagal da roça modesta.
Coisas desse jaez enchem nosso coração de alegria.
Não sei o caminho que Pepe percorreu, mas sinto que no final, tinha coração.
Ao menos o meu…
Cheers,”
Leonardo

 

the economist aponta o país do ano…

And the winner is…

When other publications conduct this sort of exercise, but for individuals, they generally reward impact rather than virtue. Thus they end up nominating the likes of Vladimir Putin, Ayatollah Khomeini or, in 1938, Adolf Hitler. Adapting that realpolitikal rationale, we might choose Bashar Assad’s Syria, from which millions of benighted refugees have now been scattered to freezing camps across the Levant. If we were swayed by influence per head of population, we might plump for the Senkaku (or Diaoyu) islands, the clutch of barren rocks in the East China Sea that have periodically threatened to incite a third world war—though that might imply their independence, leading both China and Japan to invade us. Alternatively, applying the Hippocratic principle to statecraft, we might suggest a country from which no reports of harm or excitement have emanated. Kiribati seems to have had a quiet year.

But the accomplishments that most deserve commendation, we think, are path-breaking reforms that do not merely improve a single nation but, if emulated, might benefit the world. Gay marriage is one such border-crossing policy, which has increased the global sum of human happiness at no financial cost. Several countries have implemented it in 2013—including Uruguay, which also, uniquely, passed a law to legalise and regulate the production, sale and consumption of cannabis. This is a change so obviously sensible, squeezing out the crooks and allowing the authorities to concentrate on graver crimes, that no other country has made it. If others followed suit, and other narcotics were included, the damage such drugs wreak on the world would be drastically reduced.

Better yet, the man at the top, President José Mujica, is admirably self-effacing. With unusual frankness for a politician, he referred to the new law as an experiment. He lives in a humble cottage, drives himself to work in a Volkswagen Beetle and flies economy class. Modest yet bold, liberal and fun-loving, Uruguay is our country of the year. ¡Felicitaciones!

The Economist

o ídolo, hoje, na posse do ministro da economia!

( :

cineminha montevideo + cardápio de amanhã…

na manhã de sexta feira, zarpou o boNde paralâmico para montevideo!

por tudo que já derramei, nas últimas décadas, não preciso muito espaço para demonstrar minha fissura (em todos os níveis)

pela república oriental do uruguai!

procede?

segue o cineminha registrado pela xeretinha (desorientadaça)…

os paralamas tocaram, sábado, no teatro de verano…

uma espetacular concha acústica à beira do rio (que encontra o mar), criada em 1944!

por lá, já passaram the black keys, gilberto gil, sonic youth, faith no more, beady eye, D2…

beck havia tocado na terça feira!

enfim, casca muito grossa!

olha…

e o mais importante de tudo, os ensinamentos do país…

ir ao uruguai é mais em conta que passar por são paulo! sério!

não perca tempo!

( :

aproveitando a pauta, o roNca roNca de amanhã mergulhará na fina flor da música uruguaia…

com los problems, cuarteto de nós, alberto wolf e campo!

casca!

às 21h, na oi fm web! amanhã!

HAHAHAHAHAHA… tô dizendo que a pressão é avassaladoira!

( :

a celeste está chegando…

http://www.youtube.com/watch?v=9ravByz7v1I

O Uruguai deixou bem encaminhada sua vaga para o Mundial do Brasil. Nesta quarta-feira, a Celeste Olímpica goleou a Jordânia por 5 a 0, em Amã, na repescagem. Com essa ampla vantagem obtida sobre o adversário, o time sul-americano se classifica para a Copa até com derrota por quatro gols de diferença no próximo jogo entre as duas equipes, em Montevidéu.

Uruguaios e jordanianos voltam a se enfrentar no dia 20 de novembro, às 21h (horário de Brasília), no estádio Centenário. No regulamento da repescagem, os gols marcados fora de casa têm peso maior.