Arquivo da categoria: torcida

os roNcrakudos

Assunto: Connection com a Tripa em Poços de Caldas MG

“Mauval,
Quero dividir uma grata surpresa em visita na cidade Poços de Caldas.
Ao entrar no restaurante o Becco eu me senti em casa e totalmente conectado ao programa, tanto que voltei ao hotel para vestir minha camiseta roNca roNca e registrar esse momento.
A promoção da Alexa já acabou, mas a coNNetion com a Tripa é para sempre.
Uma grande abraço.”
Fábio e família

+

Assunto: Peanut man, caramelo, ‘umbabarauma’ (só para quem se ligou), roncraquice, tudo azul com joninha e falation…

“Caros Mauval e A Lenda,

Fazia tempo que não ouvia um final de Ronca tão zozó…
Com a trilha sonora perfeita (Buckley father), o caramelo devia ser bom demais, kkk!
E o mais engraçado é que eu ouvi o final do #446 no trabalho! aí vcs imaginam o roncracudo aqui esboçando sorrisos desconexos… cabeleireira altíssima, olho parado rastejante…
Só o Ronca pra proporcionar tamanha desorientação!

Abraços,”
Demétrio

+

Assunto: o valor das coisas

“arô, arô. tudo certo por ai, na medida do impossível?
eu só queria dizer que os últimos programas estavam uma porra! estilo bigode 🙂
falando sério agora, acho que o roNquiNha ta passando por uma fase muito bacana! eh bem legal acompanhar essa trajetória por tantos anos e sentir que a sua paixão pelo rádio segue tão forte!

olha, eu tenho escutado bastante o programa semanal do bancamp e me deparei essa semana com uma entrevista bem bacana com o rodrigo amarante. acho que pode valer a pena compartilhar com a tRipa 🙂

AQUI

aquele abraço!”
joão (berlim)

joão mandou pra gente…

50 years ago, deep in the Welsh countryside, two brothers were milking cows and preparing to take over the family farm – but dreamed of making music. They had the audacious idea to build a studio in their farmhouse attic and record their own tunes. Animals were kicked out of barns and musicians were moved into Nan’s spare bedroom. Inadvertently, they’d launched the legendary #Rockfield studios. #BlackSabbath, #Oasis, #Coldplay, Stone Roses, Robert Plant, Simple Minds and more recall the mayhem and music they made at Rockfield over the decades. This is a story of rock and roll dreams intertwined with a family business’s fight for survival in the face of an ever-changing music landscape.

allan e yuka…

Assunto: Yuka mandou lembranças

“Mauricio,

Andando pela Tijuca, hoje, esbarrei com o Yuka.

Ele está bem! Mandou abraços para toda a Tripa e disse que está com saudades das participações no programa.

Recado dado.

Abs,”

Allan

aTRIPA freNética (D+D+D+D+)…

Assunto: solstício atrasado

“Oiê, ó povo meu povo do Ronca Ronca, sou uma ouvinte desgarrada, ouvinte infanto-juvenil da Fluminense FM Maldita, na profundeza dos anos 80 e descobri só agora que o programa está online

Tô me sentindo caindo de paraquedas, mas como vejo que a galera entra em contato pra pedir música no aniversário, pensei: por que não?

Meu aniversário foi no Solstício de inverno, dia 21 de junho (entrei na minha versão 4.6), mesmo dia que Anja Huwe do X-Mal Deutschland e Juliette Lewis, muito perto do aniversário do grande bruxo Hermeto.

Não sei qual dia o programa é gravado, não sei se dá tempo de pedir uma musica, não sei se pode pedir essa música, não sei nada!

Mas enfim, se der, queria pedir pra tocar uma música do Tinariwen, os tuaregs, porque eu adoro e porque acho que tem a ver com o programa. Pode ser Toumast Tincha ou Sastanaqqam
Ou qualquer música do Tinariwen
Ou qualquer música Tuareg

Enfim, adoro vocês, ouvir o programa dá muita sensação de reencontrar amigos que eu não (ou)via há muito tempo

Beijão de uma carioca retornante”

Eugênia

+

“Oi Mauricio e Nandão.
show de bola , muito bom escutar luis gonzaga junto com sua tese,rs, rs. acho que ele merece uma vinheta pro ronca afinal não falta audio e entrevistas dele por aí.
Estive de aniversário dia 19 de junho, e como é de costume de voces festejarem depois estou avisando agora kkk. Só não vai ter festinha porque nada de aglomeration e nada de moneytion tambem.
Ontem a noite me queimei com agua quente enquanto fazia café para minha patroa aqui em casa, estou com a barriga cheia de bolhas acho, que me distrai demais ouvindo o ronca na ação da água quente kkk, coisas de homem na cozinha.
Massa a ideia do clube do ronca. Nandão parece um rapper quando voce fica falando e eele entendendo fica dizendo Hã, hã, hã!
Abraços caras feliz São João.”

Alexandre

+

Assunto: Ronca 500 + Exposição fotográfica “aTripa ouvindo o roNca” + Festa

“Queridos MauVal e a leNda,

Desde a promoção da aleXa, que se tornou algo muito maior que apenas o sorteio, como vocês mesmo sugeriram, fiquei sonhando com uma exposição de todas essas fotos com as legendas da ouviNtada!

Logo na sequência, assisti ao depoimento do Fred Coelho (AQUI) sobre as festas do roNca, e fiquei com o olho parado só de imaginar a loucura (no melhor sentido da palavra) que eram essas festas.

Ai fiquei pensando, imagina que lindo seria juntar essa exposição das fotos com uma festa do roNca em comemoração ao programa 500 – 10 anos de roNca roNca na UÉBI – d+

Claro que isso é sonhar alto, com toda essa dor e sofrimento que estamos vivendo. Pensar em uma aglomeração dessas, mesmo que daqui a um ano parece surreal. Mas em meio a esse caos do reiNado dos mocorongos, sonhar também é preciso!

O que será que a curadoria, a cocuradoria e a cococuradoria do roNca acham disso?

Abss”

Lucas

p.s.: estou um pouco atrasado nos programas, mas vi que ta rolando um papo de clube do roNca. Onde que eu me inscrevo?

+

Assunto: AstraZeneca e o Reggae

“Fala MauVal!

Papo de 12 horas atrás eu tomei a picada da primeira dose da AstraZeneca. Tô aqui curtindo os calafrios, as dores no corpo e a febre de leve características da reação à vacina. Mas tô curtindo demais! Curtindo sim, porque só de fazer isso tô me protegendo e protegendo pai, mãe, irmãos, namorada, colegas de trabalho, amigos, a senhorinha que vende doce no museu onde trabalho, e as pessoas com quem trombar na rua a partir de amanhã.

Mas o papo que quero dar é sobre CONEXÃO. A conexão que a música pode nos criar com esse mundinho misterioso pra um ateu como eu, devoto da coincidência e da casualidade. Papo de “destino” é demais pra minha cabeça.

Mas tô eu no carango, na fila do drive-thru da minha cidade, Hell’s End (fala o nome rápido!), último carro na fila, lá atrás de uma pá de carro, pra tomar a tão querida Zenequinha, e penso: “tenho que criar um ritual pra esse momento que eu tô a um passo de derrotar o bozo, que quis me levar na marra mais cedo pra um papo com Hendrix e Cartola, mas não vai conseguir.”

Mas tirar uma foto? Ah.. deu preguiça. “Bora então colocar uma música pra ouvir. A que tiver tocando na hora da agulhada vai ficar eternizada como memória afetiva”, como outras em outros momentos marcantes da vida.

“VAI TER QUE SER ALGUM REGGAE”, porque não tem nada mais estrogonoficameNte alto astral e com recado positivo e/ou revolucionário.

Sentei o dedo então no play randômico de uma lista específica, e seja o que o ACASO quiser. Tem umas 7 horas de reggae ali.
Começou com “Catonine Dub”, dos Revolutionaires. Fritação! Daí logo após aquela que poderia ser A TAL: Pomps & Pride cantada pela maior ALMA do reggae: Frederick “Toots” Hibbert (ainda por cima é meu xará). Mas a fila tava longe. Passei na frente da primeira checagem dos documentos cantando JOHNNY B GOOD com a guarda municipal. Logo antes da chegada da segunda e terceira checagem Fally Lover pintou na alto falante do carro. “Ok. Uma música de amor de um cara querendo conquistar a moça, tá valendo”.

Daí pra frente aconteceu tudo rápido. A entrega do número de senha pra pegar a carteira de vacinação foi tão rápida que paguei mico. Avancei com o carro sem pegar nem documento e cartão. Tive que dar ré pra voltar, putz, e ainda ouvir da colega “agora pode ir, apressadinho”. Cara vermelha de vergonha, mas sem muito tempo pra pensar porque pra receber a tão esperada agulhada já não tinha mais nenhum impedimento.

Daí nem lembrei de música e nada… Tive que abrir a porta do carro pra enfermeira ter mais approach no meu braço ESQUERDO, na necessidade de pegar o ângulo certo pra me injetar a agulha. E ao enfim entrar no carro e pisar no acelerador pra ir embora presto atenção e ouço o que tá tocando.

Sem música, sem ESSA música, não teria sido a mesma coisa, cara. Explica essa conexão aí, Nandão! Olho parado rastejante to-tal:

I AND I SURVIVE, do inoxidável Burning Spear.

Abraços, MauVal e Nandão!
Boas agulhadas pra Nação RoNqueira!
Vai passar!
Assim como aquele chimpanzé mal educado que tá de faixa presidencial momentaneamente.”

Frederico

+

Assunto: Enquanto o Ronca Clube não vem!!!

“Salve Mauval o que posso te falar é que o nosso “Jumboteco” está cada vez melhor e sou fã há muito tempo e só faltava mesmo a carteirinha, só que agora falta pouco e enquanto espero o detalhes burocráticos vou dando uma força no turbo adquirindo o “Preto e Branco” tirei uma foto com ele pode notar o quanto a minha cabeleira ficou alta, continue sempre assim e grande abraço no Nandão “A Lenda.”

Claudio

klebinho, o clube & kubrick…

Subject: Ronca Clube
“Fala, M.V

Atrasadão na audição dos programas, mas venho por meio desta dizer que obviamente tô dentraço do Ronca Clube. Desde 2004/2005, alias. E a ideia não é minha. Se o programa é da gente, a ideia é nossa.
Pedido: toca a trilha do 2001, do Kubrick. Provavelmente a primeira coisa que ouvi no Ronca, lá pelos idos de 99.
Abraços”
Kleber

itamar, #445, dobra e o baiano putaço…

Subject: Tippett 23 Skidoo
“Oi, Mauricio,

Porra, brigadão por mencionar o dobra no roNca roNca. Com tippett de fundo, que sequência maravilhosa. Morri de rir com a hipérbole do Nandão sobre wikipedia, 😊. Abraço enorme pra ele.
O programa mais responsa do país citou algo que tô envolvido. Taqueopariu, baita emoção. O dobra agradece total. 👍👍👍
Pra falar a verdade, o momento genial total do programa veio logo na sequência. “The gospel comes to new guinea” completa, com voice over de baiano putaço reclamando de falta de macumba.
Meu deus, cês são muito mestres. Sensacional.
Abração, bicho. Baita fim de semana por aí,
Itamar.

fabio, palmer e free…

Subject: #444 Robert Palmer
“Fala mauval,

Queria destacar  aqui q o episódio #444 me deixou doido com a trinca do Robert Palmer logo no início do programa, que eu só conhecia dos anos 80 e ao saber que era ele fiquei embasbacado! Que qualidade de som! Obrigado por essas pérola que só no ronquinha encontramos!
PS: Adoraria ouvir um dia aí alguma preciosidade do Free com o subestimado Paul Rodgers!
Abçs,”
Fabio

rafael, gamarra, clube roNca, coringão…

Assunto: #444, Clube do RoNquinha e Gamarra.

“Fala MauVal! Tudo certo?

Muito bom ouvir você falando de toda a história do RoNca e ainda saber que nós ouvintes poderemos apoiar nosso amado programa.

Como a vinheta diz, a gente paga as anuidades com antecedência, kkkkk.

Mas pô, tenho que falar de uma batatada também, rsrsrs….Gamarra é ídolo do Coringão, não tem nada de “listradinhos” não, kkkkkkk.

Como corinthiano, acho que a fase mais foda dele foi na época do Corinthians. Foi nessa época que ele foi considerado o melhor zagueiro da copa de 98, terminando a copa sem ter feito uma única falta. Foi fazer só depois de 4 jogos desde a volta da copa, num jogo do Corinthians.

O cara jogou muito!!!! É ídolo incondicional da corinthianada.

Fico por aqui no aguardo de maiores informações do clube do RoNquinha!!!

Grande abraço!!!”

Rafael

nathalie, a trajetória & o clube…

Assunto: Vida loNga

“Salve, Mauval!
Como vai?
Tô saindo aqui de trás da moita, pra te escrever sobre o #444.
Rapaz… fiquei emocionada com seu relato sobre a trajetória do Ronca! Me lembrei de quando conheci o programa em 2005 e como isso impactou a minha existência. Eu, uma menina aqui nos fundos de Duque de Caxias, pirando com as descobertas sonoras…
agradeço sempre por vocês e a deusa Música estarem presentes na minha vida. Sou muito grata mesmo! E compartilho das palavras do Benjão: quando rolar o Clube, já quero pagar antecipado!

E uma outra coisa que me trouxe boas lembranças, foi o Café Tacvba. Me recordei daquele show no Circo Voador em 2013, que tive a oportunidade de assistir, graças a um ingresso que ganhei numa promoção do roNquinha. Vocês sempre me proporcionando graNdes momeNtos.

Tomara passe logo esse fim do mundo e a gente possa se encontrar por aí!

Saudades gigaNtes!

Abraços pra você e pro Nandão, A lenda.”

Nathalie
🙂

joão, o preseNte e a religião…

Subject: o valor das coisas
“fala, mister! tudo certo?
já tem um tempo que tô pra dar um alô por aqui. eu (re)assisti por acaso, ou não, o doc. sobre a rádio fluminense e entendi definitivamente a incompatibilidade de ideias quando, no filme, eles falam em tirar um reggae do ar “porque não era rock”. que tristeza!
o que me deixa feliz é saber que o clube do roNca vai ganhar vida! eu levei uns discos naquela última vez que a gente se encontrou e lembro de você sem graça recebendo eles “é presente mesmo? pô, obrigado!”. e cara, não tem presente que demonstre a gratidão por poder acompanhar o roNquiNha desde os tempos da imprensa.
existem coisas que a gente compra porque precisa. um kg de arroz, um sapato, papel higiênico… mas tem coisas que a gente adquire numa outra relação que não pode ser medida da mesma forma. eu quando compro um disco não me sinto gastando dinheiro, não me sinto nem comprando algo. é outra coisa. é outra relação. e justamente por isso aqui que a tRipa vai chegar junto forte nessa nova fase.
vamo que vamo. com saúde e conectados nessa nossa religião.
abraços”
joão