“9 luas” (ou a cara do brasil)…

a tchurma do noize record club turbinou uma edição caprichadérrima em vinil (pela primeira vez) do álbum “nove luas”, lançado em 1996, pelos paralamas do sucesso.

mais uma pepita para se juntar à lista com apanhador só, curumin, tulipinha, vinicius & baden, boogarins, otto, o terno e outros mais.

a origem da ação é a revista noize… que continua viva e encartada nos discos.

eles me procuraram assim que começou a producão do pacote “9luas” para eu enviar umas fotos, contar umas mentiras e engrossar o caldo da publicação.

imagens enviadas, lorotas emitidas… e perguntei se eles poderiam me mandar uns kits para fazer uma promo cascuda com a ouvintada… a resposta foi imediata: CLARO!

pois bem, o possante ariel enviou o material – de PORTO ALEGRE / BRASIL – no dia 21 de março de 2018… ou seja, há mais de um mês. sente o inacreditável raioX do rastreamento…

lembrando que hoje é dia 23 de ABRIL… é mole ou quer que enrole?

será que a encomenda está vindo “a pé” via santiago do chile?

reparou que no dia 4abril o pacote foi dado como “desaparecido”… e “reapareceu” no dia 17? cacilds, como assim, bial?

e se fosse um remédio? um documento importante? se fulano tivesse subido pra encontrar com hendrix porque o medicamento não chegou? se beltrana tivesse perdido a venda do apartamento que salvaria a vida dela?

você acha que alguém se manifestou dando satisfação?

e se neguinho tacasse fogo numa agência da EBCT?

vândalos? terroristas?

seguimos esperando e, claro, faremos aqui o solene aviso da chegada….

mas vamos ao mais importante:

 

evilasio, ry, daniel & a plebe…

Assunto: Ry Cooder

“Salve, MauVal!

Ry Cooder vai lançar disco novo, previsto pra 11 de maio. O slide do ômi segue matador, como sempre! Ó a grosseria:

Abração”

Evilasio

+

Assunto: Passando os primórdios a limpo pras novas gerações…

“Salve Mauricio, tudo bem?

Nesse final de semana a Plebe Rude desembarcou aqui na minha terra, Santo André, para duas apresentações no teatro do SESC.
Na sexta-feira, mais precisamente às 16H, os Plebeus lançaram oficialmente seu mais novo projeto via Youtube, o “Primórdios – 1981/1983”

5 horas depois o SESC Santo André apresentava Plebe Rude Primórdios, felizmente com casa cheia (nas duas noites).
Embora oficialmente ainda não iniciada a turnê Primórdios, os shows serviram de prévia e deram um belomaterial garimpado e registrado/disponiblizado na rede.

“Dança do Semáforo”, “Tá Com Nada” e todo material do início dos anos 80, antes do concreto rachar em Brasilia e em todo o país na metade daquela década, fez a festa da rapazeada presente.

Destaque especial para uma versão em português destruidora para “Disco in Moscow” do Vibrators, que já aproveito para sugerir que entre em alguma edição futura do Ronca.

Toda essa história escrita em Brasilia lá atrás, resgatada agora pela Plebe, não é novidade pra você, não é mesmo?. Aliás, aproveito pra informar que seu nome foi devidamente citado e reverenciado pelo Philippe Seabra como a primeira pessoa que tocou uma daquelas fitas da Plebe no Brasil, via Fluminense FM.

Colocado você à par dessa citação, gostaria de dividir uma pequena parte de um dos momentos mais strogonóficos do show de sábado, quando uma fã da banda subiu no palco para uma mais que especial participação em “Medo”, já clássica homenagem da banda ao Cólera.

Grande abraço e vida longa ao Ronca!”

Daniel

pau de enchente…

a frequência 94,9 deixará de ter, em breve, mais um de seus inquilinos… já que a paulistana alpha fm, que iniciou a ocupação em 2017, acabou de informar que largará o bastão.

o espaço no dial que já foi da fluminense fm, dizem, será sede de mais uma igreja evangélica… tadinhos de nós, os malditos!

nightdreaming (ou a goleada de oxford)…

tinha nego preocupadão que o ex-HSBC estaria vazio para receber a rapaziada de oxford.

felizmente, a cariocada + muuuuuitos forasteiros fizeram o bonito de colocar uma plateia bastante numerosa no estabelecimento… apesar de não ter se mostrado muito conectada ao palco, manja? de onde eu estava (lonjão) não consegui perceber uma parceria caliente com thom & seus bluecaps.

um casal ao meu lado dizia, constantemente, que a banda estava jogando para a arquibancada… talvez, até mesmo, para a geral… como sou bastante leigo no assunto, eu estava achando ótimo o repertório… com várias músicas soando inéditas.

xeretinha meio que injuriada pela distância do palco… mas segurou a marola e ficou bem feliz quando o som melhorou MUUUUUUITO a partir da metade do show.

passei batido pelo junun e por flying lotus… uma pena!

como jogaram para a arquibancada, o oxford team deu goleada (como sempre).

já a arquibancada…

segura o setlist:

 

 

 

março2009 (com “dark star”)…

na real, no que abriu a porta, o som jah estava rolando.

lá em cima, o anúncio do show da apoteose (rio) que foi publicado na imprensa.

muitas recordações desses dois momentos INOXIDÁVEIS… como por exemplo, em são paulo, quando comecei a sonorizar o espaço gigante logo que abriram os portões, beeeeeem antes dos shows. o dia estava ensolarado, o gramado começou a encher, o som do PA estava brutalmente extraordinário… e me deu uma vontade arretada de sentir como ele (o som) estava chegando para a plateia. eu tinha que colocar uma música bem longa para dar tempo de dar uma circulada… pesquei a versão live com quase 25 minutos do grateful dead tocando “dark star” e dei uma atochada no grave do mixer… no que a grosseria começou, piquei a mula pro meio da rapeize… PQP, o som do baixo de phil lesh estremeceu a terra, a vibe ocupou todos os meus sentidos, me esparramei na relva e quase não deu tempo de voltar a tempo.

mamãe

qualquer hora dessas eu puxo a historinha com thom e tim buckley

( :