fotografia

o programa de phil…

no início de março, passou aqui pelo tico a info – enviada pelo fernando – sobre a publicação de uma fotografia da xeretinha (com crédito e tudo com a minha letra) que foi usada no MEGA (31 x 31, 24 páginas + anexo fotográfico de 6 páginas sobre os ensaios) catálogo/programa da turnê mundial de phil collins que foi vendido nos shows brasileiros.

como não fui ao maracanã pra conferir mister collins e nenhum conhecido presente no ex-maior estádio do mundo percebeu a venda do referido programa, acabei sem saber do uso da imagem… até o fernando neumayer se manisfestar.

através de uma ação barra pesada envolvendo inúmeros traficantes do showbusine$$, finalmente, recebi o artefato…

o “hello crazy people” da História é que não tenho idéia de como essa fotografia foi parar nesse programa inoxidável cuja única imagem creditada é a da xeretinha… jisus!

( :

maio2012 (ou a parceria sônica)…

estava eu catando umas fotografias de 2012 quando esbarrei em um monte de recordações inoxidáveis… é sempre assim, procura um treco e acaba achando outros.

mas no vendaval das lembranças, brotou…

cacilds, os hermanos na quarta noite seguida, em plena fundição progresso (27maio2012/rio)… mamãe, estivemos together em 22 shows por todo o brasa, de manaus a porto alegre… que momentos, que ensinamentos, quanta História… fueda!

mas, ao revirar esses meses de 2012, apareceu o mais estrogonófico tesouro de minha relação com os hermanos… vale dizer que sonorizei o antes & o depois de todas as apresentações e que os instantes (uns 20 minutos) que antecediam a entrada deles no palco sempre foram de altíssima emoção… algo como se nós estivéssemos numa linha direta de comunicação sônica prestes a ser atropelada por um furacão de vozes enlouquecidas (do público).

tempos depois, numa troca de emails sobre essas experiências, o ruivo colocou em letras a inesquecível magia de nossa tabelinha…

D+

o catalão de berlim “largado” no rio de janeura…

o figuraça acima é o sergi, catalão residente (há 14 anos) em berlim, e MEGA fissuradaço em música brasileira… “velha”. isso, papo de 1974 pra trás.

traçamos uns comes & bebes, ontem, na pastelaria, e ele narrou a incrível História de como aprendeu a falar português (PERFEITO) escutando mutantes, caê, tom zé, jorge ben, gil, bethânia, ronnie von, gal e outros tantos.

– eu ouvia lanchonete em “baby” e mesmo tendo noção da língua, a palavra parecia sair de um dialeto desconhecido

hahahaha… D+

enfim, sergi é o gerente/proprietário do selo alter.cat voltado ao mundo das pepitas obscuras e roda o planeta cavucando sonoridades cabriocáricas… voltará para berlim com um baú abarrotado de discos adquiridos em são paulo, rio, lima, bogotá… ou qualquer outro espaço onde tenha brotado alguém na mesma sintonia.

papo vai, papo vem, perguntei qual seria um disco de música brasileira que ele gostaria de lançar pelo selo e…

– seria o máximo conseguir editar uma coletânea em vinil do daminhão experiença

UAU… de imediato, abri a mochilinha, peguei o “preto e branco” (devidamente rabiscado), abri na página com a fotografia do daminhão e coloquei nas mãos  dele… PQParille! crazy!

nessa temporada carioca, sergi deitou os cabelos em babulina no circo voador e ainda não se refez da viagem intergalática sob a lona.

o cruza foi alavancado por pedro brandt, a leNda brasiliense

boogarins, tuneyards & marcelo “caipirinha”, ontem…

Assunto: quentinho, saindo do forno…

“Salve, Simpatia!

Chegando em casa depois das apresentações de Boogarins + tUnE-yArDs aqui na Cidade Marav…. digo, aqui em Leeds.

Circunstâncias perfeitas do lado da platéia: show com ingressos totalmente esgotados em um lugar bem bacana… mas em noite de nevasca incomum em Leeds, de modo que os acomodados ficaram em casa, e só os fominhas apareceram, em número grande o bastante pra noite ser aconchegante, mas não grande o suficiente pra dificultar a circulação e a integração entre público & bandas.

Se liga no cineminha do Boogarins (anexo). Sem “relógios brancos” à vista, e com recepção sensacional de uma platéia interessada e bem informada. Apresentação à altura, seguida de simpática integração com o público presente.

Depois, tUnE-yArDs com a qualidade habitual, e mais integração Boogarins + platéia. Madame Garbus não compareceu, talvez em solidariedade com o roubo daquela foto de 2010 (em anexo) que seu fiel correspondente tinha levado, esperando alguns comentários. Infelizmente, a foto foi afanada enquanto eu tirava fotos…

Em resumo: bom show mas poucas notícias do t-y, bom show & boas notícias do Boogarins, contente com o evento e também com a aparição da camiseta do roNca…

All for now, mais notícias daqui a poucos dias, quando estivermos na Cidade Marav… digo, no Rio de Janeura.

Valeu?

Beijos & abraços,”
Marcelo///

o abraço na maré…

Assunto: Marielle

“O que aconteceu com a Marielle foi absolutamente deplorável, lamentável, pra ser sincero a ficha ainda não caiu direito. A vi e a conheci apenas uma vez, no dia da eleição, em 2016. Eu estava chegando na seção eleitoral e um amigo que eu não via a muito tempo estava em frente ao Colégio, e me deu uma panfleto dela, me indicando sua candidata. Eu disse que não era necessário pois tinha a mesma convicção dele, e já iria votar nela, e que poderia dar o panfleto pra outra pessoa que não tinha candidato (algo muito comum, se soubesse a quantidade de pessoas que resolvem na hora em quem vão votar, literalmente catando panfletos no chão só pra ter um número qualquer pra preencher na urna eletrônica… enfim, deixa pra lá); no que eu falei isso, ele disse que ela estava atrás dele, com outros amigos, e nos apresentou. Apertamos as mãos, me deu uma abraço, e nunca mais nos vimos. Acompanhava a página dela no facebook, sempre com dizeres pertinentes, críticas sinceras e diretas. Era uma das poucas pessoas que ainda me davam esperança nesse meio político. Que esse acontecimento reverbere por muitos anos, que se torne um ícone (que já é), e que os responsáveis diretos e indiretos por isso paguem por isso. Ao mesmo tempo que isso cause dor e desesperança, espero que seja um prenúncio de uma mudança verdadeira. Enfim… a ficha ainda não caiu.
Mas…vida que segue.
Valeu Mauricio, Até a próxima”

Zé da Maré

o legionário…

este é o alexandre (com o release do primeiro disco), um dos maiores conhecedores / colecionadores da legião urbana… mas não é dessas peças que só ouvem a razão principal da paixão. perguntei sobre qual outra banda tem residência em seu coração e a resposta explodiu curta & grossa: RADIOHEAD… com ingresso já comprado pro dia 20abril.

entre as preciosidades do alexandre está este desenho feito por renato de como deveria ter sido o segundo disco da legião:

e o mais bacana: desenho dado pelo próprio renato!

 

o SGR#39, hoje, às 23h, na web & dial…

claro que nelsão, acima, estará conectado à rádio globo / 98,1 FM (rio) para ouvir a estréia do vascão dele na liberta… mas, ao mesmo tempo, estará com o computer cravado na linha de áudio de são paulo para prestigiar o programa da gente, procede?

essa é a logística para a noitada de hoje: rio de janeura com futiba no dial e o programa pelo site da rádio globo no link de são paulo… moleza!

resumindo: são paulo, recife, londrina, santos, feira de santana, campo grande e joinville sintonizadaças pelo dial ao programa, às 23h… que terá stereolab, fats domino, black sabbath, radiohead, horace andy, tony allen e outros tantos fios desencapados.

às 23h, rádio globo AM, FM e web

no lixo…

já comentei inúmeras vezes como era comum achar discos no lixo, na rua… esbarrei com uma boa quantidade de Lps e compactos que, hoje, são bastante valorizados e o pior de tudo, discos ótimos, de nomes como joão donato, the who, elza soares, cartola, pink floyd… nem vou alongar a lista senão vai ter neguinho chorando.

contextualizando essa bizarrice: lá pelos lados da virada dos anos 80 pros 90, o cd estava todo pimpão, batendo recordes de venda, “todo mundo” trocando a discoteca por cdteca… “ninguém” queria ficar com aqueles trambolhos, de “som ruim”, ocupando espaço… enquanto o bombadão cdzão – todo digital, pequenino, sem pular, leve, cômodo, modernão, cheio de publicidade classe AAA – reinava absoluto.

quem não conseguiu trocar os Lps velhos (na base de 5X1) pelos lançamentos prateadinhos fofos, se lascou todo… e torrava coleções completas por um saco de mariolas, por uma mensalidade de sócio do vasco, por uma camisa oficial do galo, por uma rodada de cachaça… ou então, SÉRIO, pegava tudo e jogava no lixo.

claro, o mundo girou, e o vinil passou a ser MEGA valorizado… MEGA por que tem gente que acha que aquele Lp dos paralamas que vendeu pra meirelles vale uns 200 reais… o importante é que algumas pessoas começaram a se informar sobre as peças que estão nas prateleiras.

mas, indiferentemente de quem seja, me dói no coração ver esta cena que a xeretinha registrou, hoje, às 15h. pelo menos, o lixão está sob segurança máxima. inocente…

ontem, rory, 7.0

pouquíssimos artistas (de qualquer lado) me emocionam tanto quanto rory gallagher… traduzindo, rory me faz encher baldes e baldes, PQP, é uma vibe muito forte… tipo gabriela, vasco e aTRIPA. com a subida dele em 1995, ficou um buraco gigante e a ausência ganhou proporções avassaladoras. na boa, é ruim de encontrar um criador de sons com tanto desejo de satisfazer a rapaziada quanto ele. a esse amor infinito, rory juntou uma capacidade de intérprete, guitarrista e compositor de fazer howlin’ wolf babar de felicidade. ganhei duas vezes na MEGA sena ao cruzar com Ele, em 75 e 80… FUEDA!

a apresentação abaixo foi registrada no exato dia do 28º niver dele, em 1976…

forévis rory

( :