fotografia

paulo mandou pra gente…

Assunto: A Entrevista da Copa

“Boa noite, Mauricio!

Acompanho o ronca há um tempo já e, apesar de não conseguir ouvir todos os programas, confesso que, digamos, o “feeling” do ronca fica enraizado na gente. Dito isso, assim que bati o olho nessa entrevista do PC Caju, pensei estar lendo-a no ronca!! Caramba!! O homem disse tudo… AQUI

Abço,”

Paulo
Divinópolis MG

a Fotografia (2)…

toda vez que alguma pauta fotográfica passa aqui pelo poleiro, pipoca neguinho querendo informações sobre o tema. tipo “como começar”, “qual equipamento” e, sobretudo, “onde aprender”… na boa, nunca me achei capaz de responder a essas indagações mas, em todas as ocasiões (desde o século retrasado) sempre recomendei aos curiosos que observassem/estudassem/se dedicassem/mergulhassem nos principais fotógrafos do planeta.

e olha que essa “dica” era no tempo em que existia filme, revelação, fotometragem, peso de câmera, laboratório… e, mesmo assim, sempre insisti dizendo que tudo isso era detalhe, coisa pequena… que para aprender a fotografar, o mais fundamental é saber ver, entender a situação, saber se relacionar com a xeretinha e com o “alvo”.

o mundo girou, o laboratório foi pro ralo junto com o filme. o fotômetro (servia para medir a luz) virou peça de museu. o peso do equipamento se transformou numa pluma e a digitalização de nossas vidinhas facilitou a prática da fotografia.

mas a “dica” segue firme… quer dizer, segue muuuuuito mais importante. segue muuuito mais definitiva para alguém conseguir bons resultados com a xeretinha… ela é a muleta que temos para fazer frente ao tsunami diário do lixo visual.

enfim, toda essa ladainha para recomendar aos interessados em fotografar o MEGA extraordinário documentário de ken burns que está no netflix: “the vietnam war”

além de toda a parte histórica-jornalística-cinematográfica, o documentário utiliza o que há de mais inoxidável da fotografia planetária… caramba, alguns dos mais geniais fotógrafos da humanidade passaram pelo conflito no vietnam em seus 25 anos de duração… mamãe, robert capa morreu lá ao pisar numa mina.

mas a cobertura fotográfica no doc não se limita às fronteiras asiáticas… todo os periféricos da américa nesse período (assassinatos, manifestações, registros fantásticos dos capetas que ocuparam a casa branca & etc) estão mitologicamente cravados no trabalho de ken burns… fueda!

todos os dez episódios são sonorizados com hendrix, janis, dylan, simon & garfunkel, beatles, otis redding, temptations, stones, CSNY, marvin gaye, joni michell, zeppelin… e a trilha original tem assinatura de trent reznor. tá bão?

enfim, sobretudo, as imagens captadas no vietnam são o mergulho mais profundo na piscina que eu poderia recomendar a quem quer começar a fotografar…

a Fotografia…

em maio do ano passado, fui convidado por eugênio sávio (no palco) para apresentar o livro “preto & branco” no “foto em pauta”, evento casca grossa criado por ele, em BH.

a situação esteve presente aqui no poleiro em várias ocasiões… LEMBRA?

eugênio (fotógrafo cabriocárico que trabalhou por anos na revista placar) juntou as xeretinhas e picou a mula para a rússia…. mas como não conseguiu credenciamento para ficar dentro das quatro linhas, acabou se posicionando na tribuna de imprensa onde registrou o gol de paulinho contra a sérvia, uma das imagens que ficarão para a eternidade…

o curioso é que ele jamais faria essa obra-prima se estivesse rente à grama.

a História que paira sobre o ballet de paulinho pode ser conferida AQUI

D+