torcida

direto do vale do pavão com pedro, roberto e luís…

Subject: Salve desde o Vale do Pavão
“Salve MauVal, Salve Nandão!
O Ronquinha embalando em mais um café da manhã antes do trabalho. É a trilha sonora do nosso grupo de WhatsApp, o ‘Andanças’ e sempre a nossa pauta de discussões pra semana.
Lembramos de um episódio em particular. Estávamos em Mauá ouvindo o Ronca quando você falava da história de Tim e Jeff Buckley. Ficamos debatendo os assuntos assombrados com o inusitado, a coincidência e os destinos da vida.
Em Mauá (especificamente no Vale do Pavão), em Copa, no Catete ou Botafogo… Ronquinha sempre conosco. Uma geografia sonora no Rio.
 No Vale do Pavão o Ronca já tem um posto avançado!!
Toca um Tim ou um Jeff Buckley pra tripa!!
Grande abraço,”
Pedro, Roberto Mosca e Luís Felipe

segue reverberando a visita de brasinha ao #370…

Subject: #370 #371
“Véspera de feriado fui de combo ronca ronca, não poderia deixar de ouvir a participação do nosso querido Túlio. Que onda ein! O menino (não mais tão menino rs) tá brilhando no mundo, fico feliz por ele, principalmente por não estar aqui  nesse país horrendo que está ficando e o Rio então, nem se fala…

Aí no segundo podcast eu tô lá curtindo o prog diferentao e lembrei, puxa nunca mais ouvi Soft Machine. Acaba a música e taran! Era Soft Machine hahahah.  Que surpresa boa. A moça que cantou Leonard Cohen eu também gostei demais, de uma melancolia comovente na voz, quero mais.
Espero ouvir mais o ronquinha em 2020, é incrível o poder da música em tempos difíceis. Resistir!
Um grande abraço”

Tatiana
+
Subject: Encontros e desencontros #370
“Mauval e Nandão, salvem 2020!

Senhores, escrevo para compartilhar esses encontros, desencontros e conexões que a música nos proporciona. Ali pelos idos de 2013, eu acho, tive a oportunidade de escrever para um site de notícias e crítica musical que se chamava Fita Bruta (ainda se chama assim, mas tá inativo). Fui convidado pelo Yuri de Castro e foi uma experiência muito legal de fazer parte, mesmo a distância, de uma parada que juntava uns caras muito jovens, mas com um ouvido e um olhar curiosíssimo, antenados, e dispostos a experimentar na produção dos textos, numa reflexão sobre a música, de onde ela vem e pra onde ela vai. Era uma proposta muito interessante e um dos camaradas desse site era o Túlio, que escreveu, por exemplo, que eu me lembro assim de cabeça, uma bela resenha sobre o primeiro álbum do Kiwanuka, lá em 2012.
Eu não tive o prazer de conhecer essa turma pessoalmente, mas fiquei felicíssimo de ser apresentado ao Túlio aí, no #370, como membro da Tripa e confirmando não só que estamos todos muito bem acompanhados aqui, como eu tava certo também sobre a turminha ali do Fita. Os meninos eram o futuro.
Prazer, Túlio! Alegria conhecê-lo.
Abraços!”
Thiago
BH

gustavo mandou pra gente (ou +1 d’aTRIPA de fora)…

Assunto: Obrigado Mauval e Nandao

“Alo queridos Mauval e Nandao, a lenda

Faz alguns anos que escuto o programa, nem sempre de forma assídua, mas enfim nos últimos pelo menos 6 meses tenho escutado todos os programas, e cavucando alguns mais antigos pela uebi também.

Enfim, finalmente sai do armario (nunca escrevo pros programas que gosto, acho que sou mais voyeur) e queria agradecer por sempre aumentar minha cultura musical, moro em Montreal, (Quebec) ha 4 anos e vocês me fazem companhia sempre por essas terras gelidas. Frequentemente impressiono meus companheiros de banda com um som saido do ronca, mas confesso que toda musica que toca por ai, sempre soa muito melhor mesmo, impreCionante!

Agora tenho 3 coisas a dizer,

Primeiro, a musica que o Nandao acha que lembra o baixo do Aynsley Dunbar retaliation foi Fever, e eu tenho que concordar com ele nisso ai.

A outra coisa, tenho uma amiga que vai me trazer uns contrabandos do Rio, e meu sonho é possuir uma porcelana relíquia da dinastia min min ling, seria possível conseguir uma?
Eu tenho como mobilizar um pessoal pra buscar, ja sonho com as fotos do mural do Leonard Cohen e tomando meu cafe irlandês com Maple sirup que irei manda-los

Caso possível gostaria de pedir também um Kurt Vile (ate porque o Mauricio citou que veio uma musica dele no CD da revista) ou Ben Kweller

Bom, é isso, muito obrigado e vida longa ao RoncaRonca, espero ter a cara de pau de escrever e participar mais com vocês,

Grande abraco,”

Gustavo

jarmeson & bowie…

Assunto: Bowie na Folha em 73

“Salve MauVal! Feliz 2020!
Achei isso aqui nas minhas pesquisas e queria compartilhar com vocês.
Foi em 04 de março de 1973 que a Folha de S. Paulo publicou sua primeira matéria a respeito deste cantor inglês que inventou um sobrenome pra se distinguir do integrante dos Monkees. O textinho meio coluna social meio revista de fofoca saiu algumas semanas após o lançamento nacional do LP “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars”.

Jarmeson

peart & aTRIPA & ainda o #368…

Assunto: Neil Peart subiu =/

“Feliz ano novo, Mauval! Eu tava devendo este e-mail desde a virada do ano, mas o trabalho e a rotina me sugaram, infelizmente. Somado ao meu relapso, claro…

E decidi que deveria te escrever hoje. Ainda estou digerindo a morte do lendário Neil Peart desde sexta-feira, já chorei feito criancinha desde então…

Sei que Rush não está muito no radar do Ronca, mas eu só precisava mesmo escrever esse desabafo pra outro amante de música, como você. Cara, Rush foi o primeiro show que vi na minha vida, lá no distante 2002. Puta que parola, eu só tinha 16 anos! Quanto tempo, mas me lembro daquele dia do começo ao fim. Tremi igual vara verde quando eles subiram ao palco, muito foda. Tive a sorte de vê-los outra vez em 2010. Que privilegiado eu sou!

Fui apresentado a essa santíssima trindade pelo meu melhor amigo que conheço desde 1999, ele também ficou arrasado. Enfim, são muitas e muitas memórias da minha vida relacionadas a eles.

Mauval, me faça chorar outra vez. Fale um pouco dele, toque qualquer música do Rush, pode ser qualquer uma comercial. É a primeira vez em que vejo um ídolo morrer, ainda não sei como lidar. Admito que até mantinha uma grana reservada pra me mandar pro Canadá numa emergência, porque eu jurava que haveria um show de despedida. Isso não vai acontecer mais =/

Neil Peart era um cara muito especial, incrível, um grande ser humano (nem vou entrar nos méritos dele como baterista e letrista. É chover no molhado). Ele merece uma menção honrosa, e não o ostracismo dado pelos canais daqui…

Um abração!!!!”
Rafael

+

Assunto: Neil Peart – 1952-2020

“Fala Mauval,

O melhor baterista de rock do mundo se foi e ninguém colocou nada no site? Qual é dos estagiários?

Chorando essa perda desde a semana passada” 😭😭😭

Jair

+

Subject: Gratidão pelo #368

“Com quase 3 semanas de delay, ouvi com comoção ô #368. Melhor programa não haveria para atender o pedido e presentão de aniversário dos Pistols, (antecipando o iminente verão carioca) Holidays in the sun. Ainda, com a inclusão no programa do prócer argento L. A. Spinetta,  na histórica parceria dele com outro grande, Pappo, na faixa executada no Ronquinha.

O que dizer de,  entre outras,  a memorável presença do Premê(ditando o breque) que, diga-se de passagem, merece ter apresentada em alguma edição de 2020 a obra prima “Feijoada total”.
Grato pela contemplação do pedido MauVal, agradeço o parabéns de inigualável Nandão – a quem retribuo com Saudações Rubro-Negras, e agradeço a boa companhia de sempre.
Um ótimo 2020 pra vocês!
Abração.”
Dario

parquet courts & aTRIPA…

Assunto: Parquet Courts

“Alô alô tripulação Ronca-ronquense!

Meu primeiro contato imediato com vocês.
Ouço vocês desde sempre.
Inclusive a pegada de vocês já foi influência de um programa que tínhamos na web há 10 anos atrás, o programa Confusion, pirataria sonora que invadia mais de mil lares todas as segundas a noite levando jazz fusion, rock psicodélico, funk e tudo que tinha pegada experimental e liberdade na improvisação. E o bacana que em nosso estúdio recebíamos diversos colegas e convidados, o que tornava o ambiente em uma pequena confusão!

Mas venho aqui para falar que assisti o Parquet Courts em um mini-festival patrocinado pela Heineken aqui em São Paulo, Heineken Experience.
Show muito bom!
Ouço a banda desde o início mas sempre tive dúvidas de como falar corretamente o nome. Aprendi com vocês agora no programa #369, na Web.

Muito obrigado.
Grande abraço!”
Fabio

+

Assunto: Parquet Courts

“Tava ouvindo outro dia o programa da semana passada, talvez eu esteja falando uma batatada, mas acho que vc falou algo sobre o Parquet courts não terem tocado no Brasa (ou eu entendi dessa forma rs)… vieram a cerca de três anos, quando tocaram duas noites em São paulo pra cerca de 900 testemunhas (450 em cada show). Fiquei sabendo na época, mas infelizmente perdi. Ninguém se movimentou pra traze-los pro Rio…

 

Valeu Mauricio, até + ! =)”

Z