i love jazz

grande rafinha!!!

vem aí o festival “i love jazz” no rio, BH, sumpa e brasila.

a divulgação é baseada em letras de músicas bem conhecidas.

mas na boa, não consigo captar a vibe nesse tipo de aproximação com o jazz… ou com qualquer outro rítmo black.

parece forçação de barra para se mostrar “descoladinho”, “moderninho”, “diferentinho”, “polemiquinho” (?!)…

e dizer: “PSIU, estamos fazendo um lance que, musicalmente MESMO, não interessa a ninguém”! 

ou, como rodrigão acabou de me dizer (10:50): “qualquer dia aparece um festival intitulado: AQUI JAZZ”!!!

se é que já não existe!!!

anyway, no fundo, essas interferências demonstram uma tremenda falta de sensibilidade… ou, mais diretamente, um mega preconceito.

assim como foi, ano passado, o festival de negritudes que convidava:

“seja negro por um dia”.

e mais, havia como você sair com nariz abatatado e cabelo “black power”!

acho até que pode funcionar para a grande maioria… afinal, eles devem saber como fazer a bagaça.

confesso que gostaria de me sentir atraído por esse tipo de comunicação, ou ao menos, entendê-la…

mas prefiro me levar pelo poder de sedução do som criado por seun kuti, que vem aí em nova edição do festival.

resumindo, sou mais o rafinha…

( :