renato russo

negativos & positivos (211) [RR+HV]…

– aquele solo do tom verlaine me fez entender a guitarra de um jeito novo

– é verdade… e os violões de nick drake e joão gilberto?

– que tal a gente tocar, de surpresa, aqui agora, uma song de cada um dos três?

– boa, vamos nessa. primeiro joão, depois nick e fechamos com verlaine

– será que a direção do programa vai ficar injuriada?

– ué, foda-se ela

– boa,vai ser demais. let’s go, now…

rr+hv

renato russo & herbert vianna  /  rio de janeiro  /  julho1988

negativos & positivos (1) [renato russo]…

desde o filme de ben stiller que estou grudado às fotografias captadas pela xeretinha.

não as digitais… mas negativos & positivos (slides) clicados séculos atrás.

deu uma sodade arretada das imagens, cheiros, sensações… fueda.

muitos negativos jamais foram ampliados… portanto, nunca foram vistos como deveriam.

não resisti à pressão e corri para casa de duduca, meu chapa, que tem um scanner.

levei quatro imagens que nunca viram a luz do dia.

entre elas, esta de renato russo, em sua casa (ipanema)… quando fui chamado, por ele, para fotografar a capa

do “the stonewall celebration concert”, seu primeiro disco solo e que está prestes

a completar – em março – vinte anos de lançado.

este slide jamais foi publicado…

reparou nos cds de james taylor e captain beefheart (“safe as milk”)?

é bom lembrar que renato, nesse disco, apresentou nick drake à nação brasileira.

( :

VINTEESETEDEMARÇO!

27 de março… data lindona!

muitas peças queridíssimas na minha vidinha chegaram, hoje, ao planeta!

ricardão… caraca como adoro esse flamenguista! baixistaço, amigaralhaço… de milênios!

tia cecília… tricolor, linda… polly harvey é sósia dela!

tem mais gente… mas paro aqui… senão, inundo o teclado!

e o mais chegado a todos nós…

vestindo a camiseta do young marble giants… feita por ele próprio.

como eu disse antes, nesta sessão, fotografei a capa da legião.

e, hoje, em são paulo, qual compacto cruzou meu caminho?

segura…

no que vi o 7″ e soube do precito, pensei:

“cacilda, compacto do YMG não aparece sempre. pô, niver do renatão. ok, não almoço… mas ele vai pro rio”

cheers

( :

tá russo!

não encontrei, até hoje, razão para acreditar que a internet (no brasa) seja responsável por alargar, positivamente, o conhecimento de seus usuários.

não faltam exemplos, em todas as áreas, de como as novas gerações não conseguem “entender” música fora de modismos & seus periféricos… e pior, como determinadas incorreções vão sendo por elas (as gerações) reverberadas… e cristalizadas!

tá complicado?

tentando esclarecer sobre um fato bem recente – a promoção com os Lps da legião urbana!

a pergunta – que ainda está valendo –  é:

– o que renato russo diria da atual cena da música brasileira?

pois bem, a maioria afirma que renato se manifestaria contra tudo & todos que fazem parte da atual música brasileira.

sobretudo, contra a ala mais colorida e adolescente!

mas como assim bial?

renato foi o principal agente da ampla – e irrestrita – convivência entre os opostos!

renato nos ensinou a compreender os sons… nos ensinou como deixar a intolerância na lata de lixo!

nos mostrou os caminhos comuns entre menudo, nick drake, berio, crass, música italiana, gershwin… só para citar alguns foreta de nossas fronteiras.

estive com renato em muitas ocasiões fuçando discos…

e nunca vi alguém comprar tantos e tão variados estilos de música.

renato era inclassificável… pelamordedeus jamais coloque nele o crachá “roqueiro”, jamais!

o tempo passa e parece que muito pouco do que ele nos injetou fará efeito… ou reverberá forévis!

triste… muito triste!